Novum Canal

mobile

tablet

Covid-19: Vereador da Saúde de Lousada destaca que situação é “complexa”, mas não é grave
Fotografia: Câmara de Lousada

(C/VÍDEO) Covid-19: Vereador da Saúde de Lousada destaca que situação é “complexa”, mas “não grave”

Partilhar por:

O vereador da Saúde da Câmara de Lousada, Nélson Oliveira, rotulou, em declarações prestadas esta terça-feira de manhã ao Novum Canal, a situação e os novos casos de contágios em Lousada como sendo uma situação “complexa”, mas não “grave”.

“Complexa não quer dizer que seja uma situação grave. Existe um número exponencial de contágios como todo o país, aliás, por 100 mil habitantes Lousada até é dos concelhos que têm menos infetados, também, muito devido àquilo que os munícipes passaram nos anos anteriores. A título de exemplo, Lousada vinha de uma fase bastante complicada em outubro de 2020, assim como toda a região, e o número de contágios que temos agora é até bastante superior a esses. Face ao papel fundamental da vacinação foi possível minimizar estas situações”, disse, apelando uma vez mais para a importância dos munícipes se vacinarem.

“Reconheço o esforço da grande maioria da população e em Lousada não temos problemas de não adesão à vacinação, mas nunca é demais falar sobre isto, a vacinação é segura e resulta. Existem casos que só não foram mais graves porque a vacinação funcionou”, expressou, salientando ser determinante continuar a apostar na vacinação porque este ato é a única garantia de que a situação epidemiológica do país não estar mais aflitiva.

O autarca confirmou mesmo que se não fosse os níveis de vacinação atingidos no passado e o reforço que está a ser feito, a situação seria bem pior.

O vereador responsável pelo pelouro da saúde reiterou mesmo que de acordo com o ACeS, Lousada regista um nível de incidência relativamente reduzido e com uma das mais baixas taxas de positividade.

Fotografia: Câmara de Lousada

Nélson Oliveira avançou, ainda, que voltou a solicitar ao coronel Carlos Penha-Gonçalves, que coordena o Núcleo de Apoio ao Ministério da Saúde, para que seja facultada a possibilidade de avançar com a vacinação para outras faixas etárias.

“Sei que desde esta segunda-feira os maiores de 45 anos já estão em regine de auto agendamento, contudo poderíamos ir mais além, que era dar autonomia aos ACES para fazer a gestão da administração vacinal. O país tem várias características de concelho para concelho. Existem concelhos com população mais idosa, outros com uma população menos idosa. Em Lousada conseguimos rapidamente vacinar os mais velhos colocando a nossa estrutura a colaborar com o ACES. Nesse esforço, parece-me sensato que não estejamos à espera de outros concelhos e possamos alargar este processo a outras faixas etárias. Para já não se vislumbram novidades, contudo já lancei esta ideia para dar uma maior autonomia ao ACES do Vale do Sousa Norte e a outros, porque problemas de vacinas não temos”, sustentou, confirmando que Lousada é dos centros de vacinação com uma das maiores taxas de vacinação/habitante.

Quanto à vacinação pediátrica, o autarca confirmou que a adesão tem sido igualmente significativa e deixou um repto para que os pais não hesitem e vacinem os seus filhos.

“Existem crianças internadas com Covid-19. Não é raro que esta situação não atinja as crianças e nesse sentido, os pais, sem querer impor nada a ninguém, até porque a vacinação não é obrigatória, devem recorrer aos centros de vacinação para vacinar os seus filhos”, sublinhou.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!