Novum Canal

mobile

tablet

(C/VÍDEO) Requalificação da Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo

Partilhar por:

A Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo reabriu, esta segunda-feira, Dia de São Gonçalo, as portas à comunidade, após para obras de reabilitação, conservação e restauro no edifício.

Refira-se que Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo estiveram encerrados cerca de 16 meses, sendo que as obras de reabilitação, conservação e restauro no edifício integraram intervenções na “coberturas, pisos, paredes, vãos), mas também no recheio artístico (retábulos, esculturas, pinturas murais, painéis azulejares, entre outros)”.

Esta segunda-feira foi um dia simbólico com a Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo a reabrirem à comunidade com toda a beleza e esplendor.

O pároco de São Gonçalo, José Manuel Ferreira, realçou que este foi um dia simbólico, que assinala, também o dia padroeiro de São Gonçalo, marcado pela reabertura deste espaço ímpar, num evento que contou com a presença das autoridades locais.

Fotografia: Câmara de Amarante

“É um dia de contentamento conseguirmos abrir as portas desta igreja depois de uma intervenção profunda que é visível a todos, tendo sido construída em 1540. Do género não há registo de uma intervenção desta monta. Ao longo dos séculos a estrutura foi sendo ampliada, mas uma empreitada profunda como esta não há memória”, disse, salientando que a intervenção teve também em conta a valorização do espaço.

“Esta igreja foi-se mantendo-se ao longo dos anos pela sua função litúrgica e eclesial de uma comunidade que cuida deste espaço”, disse, destacando que existem altares distintos significado de uma igreja que foi tendo atualizações do seu próprio tempo.

“Deixamos a nossa marca artística. O escultor é uma pessoa conceituada e este é um trabalho de grande rigor que se pede para este género de peças”, avançou, sublinhando que a intervenção final foi do seu agrado.

O pároco realçou, ainda, que a igreja é um espaço de cultura, com expressões artísticas, um espaço com uma acústica extraordinária, confirmando que a “igreja serviu e continuará a servir a comunidade civil com a realização de alguns concertos”.

José Manuel Ferreira relevou, igualmente, o envolvimento de todas as instituições, entidades na intervenção realizada.

Fotografia: Câmara de Amarante

“A harmonia conseguida do espaço, com elementos patrimoniais, o tesouro já cá estava, mas com esta intervenção tudo ficou mais visível”, acrescentou, reconhecendo que a iluminação vai permitir ver alguns destaques.

O presidente da Câmara de Amarante, José Luís Gaspar, referiu-se à reabertura de Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo como um dia “histórico”.

“Depois de 16 meses de obras temos a possibilidade de contemplar esta obra de arte e estamos duplamente felizes a comemorar o dia do Santo e da reabertura Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo”, afirmou, reconhecendo que esta é uma obra da união de esforços de muita gente, desde logo, dos amarantinos, instituições e entidades, da Câmara de Amarante e do Norte 2020 – Programa Operacional Região Norte.

O chefe do executivo confirmou que este espaço será palco de concertos, atendendo à acústica que a igreja tem.

José Luís Gaspar manifestou, ainda, que estão previstas grandes intervenções para a área envolvente da Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo, nomeadamente na Alameda Teixeira Pascoais e Largo de São Gonçalo.

“Já começamos a edificar o elevador que vai permitir aproximar a Praça de São Gonçalo à biblioteca. Tudo aqui vai ser requalificado e uma nova integração no centro da cidade”, concretizou.

Recorde-se que a candidatura para a Conservação e Valorização da Igreja e Claustro de São Gonçalo foi aprovada no final de 2019 e conta com financiamento do Norte 2020 – Programa Operacional Região Norte.

A autarquia amarantina avança, ainda, que “liderada pela Paróquia de Amarante, entidade que há séculos cuida este Monumento, contou ainda com autorização da Direção-Geral do Tesouro e Finanças, proprietário do edifício, e o apoio da Direção Regional de Cultura do Norte, no acompanhamento, elaboração de projeto e na execução da obra”.

“Desde o primeiro momento, o Município de Amarante é parceiro desta operação dada a sua importância para a sub-região Tâmega e Sousa e para a região Norte. Teve ainda o apoio de entidades privadas, como a Fundação Manuel António da Mota, e da comunidade Amarantina”, lê-se na nota informativa que nos foi endereçada que confirma que este edifício é de um “incalculável valor histórico, arquitetónico, artístico e turístico”.

“A Igreja e Claustro de São Gonçalo apresentavam condições de conservação dramáticas sendo urgente esta intervenção de requalificação e valorização. Recorde-se que desde a sua construção, no século XVI, nunca se realizou uma intervenção global no edifício, apenas acrescentos e pequenas obras de reparação”, reforça a mesma nota informativa.

O município avança, ainda, que ao longo de 16 meses foram tratados os “problemas com infiltração de águas pluviais e das térmitas, atualizada a infraestrutura elétrica, de iluminação e áudio, e recuperado o recheio artístico”, numa intervenção de grande impacto conservativo, global, pensada e projetada para o imóvel no seu todo, desde a Igreja aos espaços complementares, que foram requalificados e revitalizados”.

“Além da Igreja e das duas capelas que são o ex-libris da Igreja, a Capela das Oferendas e a Capela do Túmulo de São Gonçalo, é agora possível visitar a Capela de São Gonçalo, onde se encontra a imagem de São Gonçalo da Corda, o coro alto, a torre sineira e a Varanda dos Reis, espaços que potenciam a realização de eventos culturais e turísticos, complementares à promoção e divulgação do Património Cultural e da cultura da região Norte”, refere a autarquia.

Em termos de mobiliário, os “bancos da assembleia foram renovados e há três novas peças em mármore, da autoria do escultor Paulo Neves: o altar, com 13 rostos em representação da última ceia; o ambão, com representação dos quatro evangelistas; e uma cadeira. Desta forma, a Igreja de São Gonçalo fica com obras de todas as épocas desde o início da construção”.

A câmara municipal declara que o projeto representou um “investimento total de mais de dois milhões de euros (2.193.175,01€), e foi cofinanciado pelo Norte 2020 – Programa Operacional Região Norte em 819 425,20€. Teve ainda como parceiro a Câmara Municipal de Amarante, o acompanhamento técnico da Direção Regional de Cultura do Norte, e como mecenas a Fundação Manuel António da Mota”, sustentando que às 18h30 realizou-se a cerimónia da dedicação ao altar e a Eucaristia que será presidida pelo Bispo do Porto, D. Manuel Linda.

A câmara informa que a partir de dia 16 de janeiro, toda a “comunidade está convidada a conhecer a renovada  Igreja e Claustro do Convento de São Gonçalo”, sublinhando que, como era habitual, haverá eucaristia às 11h00 e às 18h00, mas as portas abrem às 09h00.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!