Novum Canal

mobile

tablet

ACeS Tâmega III - Vale do Sousa Norte vence prémio Boas Práticas em Saúde
Fotografia: ARS | Norte

ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte vence prémio Boas Práticas em Saúde

Partilhar por:

O ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte foi o  vencedor do prémio de Boas Práticas em Saúde – 14.ª Edição, na categoria de Melhor Poster Científico, com o projeto “Covid-19 no Contexto de Saúde Escolar”.

O ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte destaca, em comunicado, que o ACeS Tâmega III -Vale do Sousa Norte foi o vencedor, deste ano, na categoria de “Melhor Poster” com o Projeto “Covid-19 no Contexto de Saúde Escolar”, na 14ª edição do Prémio de Boas Práticas em Saúde® (PBPS), a qual decorreu no dia 22 de novembro de 2021.

O ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte realça que o PBPS é promovido desde 2006, sendo uma iniciativa organizada pela APDH, Direção-Geral da Saúde, Administração Central do Sistema de Saúde, IP, as cinco Administrações Regionais de Saúde, e nas últimas edições também com a colaboração da Direção Regional de Saúde dos Açores e da Secretaria Regional de Saúde da Madeira, abrangendo todo o território nacional.

O prémio tem como principal objetivo dar a conhecer as “boas práticas em saúde a nível nacional, no âmbito da qualidade e inovação, com vista a replicar as mais-valias para o bom desempenho do Sistema de Saúde”.

O Projeto “Covid-19 no Contexto de Saúde Escolar” foi desenvolvido no sentido de garantir uma abertura segura do espaço escolar no ano letivo 2020-2021 durante a pandemia por SARS-CoV-2, no ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte.

Fotografia: ARS | Norte

“Assim, implementou-se o Projeto “COVID-19 no Contexto de Saúde Escolar”, com envolvimento da Unidade de Saúde Pública (USP), as Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC), a Unidade de Apoio à Gestão (UAG), as Áreas Dedicadas a Doentes Respiratórios (ADR), as Autarquias Locais (Lousada, Felgueiras e Paços de Ferreira) e todas as escolas dos três concelhos”, refere o comunicado que nos foi endereçado.

O ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte reforça que este projeto surgiu face à “evolução epidemiológica local, à iminente abertura das escolas e às necessidades detetadas junto dos estabelecimentos de ensino e contemplou a adaptação dos espaços escolares, a capacitação da comunidade educativa e a garantia de uma resposta célere e adequada que permitisse prevenir o surgimento de cadeias de transmissão no espaço escolar e consequente agilização do processo de investigação epidemiológica”.

O ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte esclarece, ainda,  que o “projeto enquadra-se no Programa Nacional de Saúde Escolar (PNSE), nomeadamente no eixo 2 “Ambiente Escolar e Saúde”, área de intervenção “Ambiente Escolar Seguro e Saudável” e eixo 6 “Parcerias””, sustentando que o projeto tem, também, “alinhamento com o Plano Local de Saúde do ACeS VSN, nomeadamente, as dificuldades com o sono, ansiedade e depressão e foi desenhado após o diagnóstico de situação realizado junto da comunidade educativa para deteção de problemas e respetiva priorização, que apontou a intervenção no âmbito COVID19 como prioritária em todos os ciclos de ensino”.

Fotografia: ARS | Norte

Neste projeto, a “USP surge como gestora do processo e as UCC como braços de operacionalização. A UAG e os ADR surgem como Unidades de apoio e continuidade ao circuito de testagem”.

“Analisados os dados do 1º período do ano letivo 2020-2021, foi efetuada uma estimativa de redução de custos, analisando quatro vetores: Gestão de casos suspeitos (11 431,35€); Circuito de testagem (171 862,50€); Celeridade de Atuação (7 934 918,50€); Prevenção de pânico e sobreutilização dos serviços de saúde (26 282,60€)”, acrescenta o ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte.

“Em suma, estima-se uma redução de custos total, durante o 1º período do ano letivo 2020-2021 de 8 144 497,85€”, sustenta o agrupamento de centros de saúde.

Ainda de acordo com o ACeS Tâmega III – Vale do Sousa Norte, este projeto “COVID-19 no contexto em Saúde Escolar” permitiu os seguintes ganhos e mais-valias: (1) diminuição da ansiedade da comunidade educativa; (2) diminuição da procura desajustada de recursos de saúde [nomeadamente, Área Dedicada aos Doentes Respiratórios (ADR), SNS24 e serviço de urgência]; (3) diminuição do tempo de resposta perante casos suspeitos e confirmados; (4) empoderamento e aumento do sentimento de confiança da comunidade educativa; e (5) redução do absentismo escolar e laboral”.

“O Projeto “Covid-19 no Contexto de Saúde Escolar” foi, também, submetido ao Prémio de Boas Práticas “COVID-19: Resiliência, Singularidade e Determinação”, tendo ficado no Top 15 a nível nacional”, avança a instituição que confirma que o “sucesso destes projeto, naturalmente, só foi possível devido à excelente cooperação intra e interinstitucional, pelo que, é com muita honra que o partilhamos com todos os parceiros e comunidade deste ACeS”.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!