Novum Canal

mobile

tablet

Amarante: exposição junta Jorge Galindo a Pedro Almodóvar
Fotografia: Câmara de Lousada

Amarante: exposição junta Jorge Galindo a Pedro Almodóvar

Partilhar por:

Amarante acolhe, este sábado, pela primeira vez em Portugal, a exposição “Pinturas Partilhadas” que junta Jorge Galindo a Pedro Almodóvar.

A mostra é inaugurada às 16h00, no Museu Municipal Amadeo de Souza-Cardoso e contará com a presença dos artistas, uma performance de Luísa Mota, às 15h00, e uma atuação musical de Su Garrido, agendada para as 17h00.

A autarquia destaca que “a colaboração criativa entre Jorge Galindo e Pedro Almodóvar começou a partir da encomenda de um desenho que o cineasta fez ao pintor para o seu filme “Dor e Glória” (2019). Para fazer o desenho em questão, Jorge Galindo inspirou-se nos vasos de flores que tinha nas proximidades e primeiros estudos foram feitos em aquarela”.

“ A partir das fotografias de Pedro Almodóvar trabalharam em telas de grande formato, um trabalho muito gestual, onde se serviram de cores fortes, tons que o realizador não usa nos seus filme”, lê-se na nota informativa que o município nos endereçou.

O artista madrileno, Jorge Galindo, destacou que “trabalho de colaboração com outro artista permite a cada um sair fora dos seus hábitos mais estabilizados e tocar a possibilidade de um olhar diferenciado e novo. As imagens discretas, quase silenciosas, das fotografias de Almodóvar permitiram este ensaio a quatro mãos, do mesmo modo que nos permitiram transportar a imaginação do seu cinema para dentro da pintura”.

Amarante: exposição junta Jorge Galindo a Pedro Almodóvar
Fotografia: Câmara de Lousada

“O resultado está à vista. O sentido de uma espacialidade aberta, quase gestual (à maneira dos drippings de Pollock), que tantas vezes conduzira a febre de criação de Galindo a experimentar os limites da composição, encontrou, sobre a resistência silenciosa das discretas imagens de Almodóvar, um palco (ou melhor: um ecrã) libertador, onde se arriscou um diálogo (una faena?) que, sem conduzir à perda das respetivas identidades, a ambos libertou das formas anteriores e já conhecidas”, acrescenta o comunicado.

Durante esta colaboração, “o realizador espanhol também pintou e chegou a confessar “ter sido esta uma das experiências de criação mais fortes da sua vida”.

 “Há muito tempo que não experimentava algo totalmente novo e tão poderoso como a pintura, mas aqui estamos para partilhar convosco. Mas que fique claro que eu não sou pintor”, disse Pedro Almodóvar, aquando da inauguração da exposição em Madrid, em 2020.

“Pinturas Partilhadas” está patente em Amarante até 31 de dezembro, para visitar de terça a domingo, entre as 10h00 e as 12h30, as 14h00 e as 18h00. A entrada no MMASC tem o valor simbólico de 1€, e para estudantes, portadores de Cartão Jovem e maiores de 65 anos de 0,50€. Até aos 15 anos, a entrada é grátis.

 Jorge Galindo nasceu em 1965 em Madrid, Espanha, formou-se nas oficinas do Círculo de Bellas Artes de Madrid, e conta já 30 anos de carreira. Descreve o seu trabalho como “pop sujo” e as suas pinturas monumentais são gestuais e expressionistas”.

“A sua arte está exposta no Hamburger Bahnhof, Berlim; Museu Hirshhorn, Washington D.C .; Museu Nacional Centro de Arte Reina Sofia, Madrid; no Hammer Museum of Art, Los Angeles, CA; e no Hall Art Foundation Schloss Derneberg, Alemanha”.

Pedro Almodóvar é realizador, argumentista e ator, foi o primeiro espanhol a ser nomeado para o  Óscar de melhor realizador.

“Natural de Calzada de Calatrava, La Mancha, nasceu em 1951. Aos 16 anos mudou-se para Madrid para estudar e fazer filmes. Estreou-se em 1980 com a longa-metragem “Pepi, Luci, Bom y Otras Chicas del Montón”, e nunca mais parou. Das suas obras destacamos “Mulheres à Beira de um Ataque de Nervos” (1988), nomeado para o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e o filme estrangeiro com melhor resultado de bilheteira nos Estados Unidos, em 1989, tornando-se no filme espanhol de maior sucesso. Mas também o grande êxito mundial de “Tudo Sobre Minha Mãe” (1999), que venceu o Oscar na categoria de Melhor Filme Estrangeiro, o Globo de Ouro e o Bafta. Três anos depois voltou a arrebatar tudo com “Habla con ella”: Oscar para Melhor Argumento Original, Globo de Ouro para Melhor Filme Estrangeiro, e o Bafta para Melhor Filme em Língua não Inglesa e Melhor Argumento Original”, acrescenta a nota informativa.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!