Novum Canal

mobile

tablet

Paços de Ferreira: Alexandre Costa defende criação de zonas de acolhimento, aposta na saúde e habitação. Candidato critica governação “absolutista” e “cultura do medo”

Reportagem (C/Vídeo) Paços de Ferreira: Alexandre Costa defende criação de zonas de acolhimento, aposta na saúde e habitação. Candidato critica governação “absolutista” e “cultura do medo”

Partilhar por:

O candidato do PSD à Câmara de Paços de Ferreira, Alexandre Costa, apresentou esta segunda-feira, no Pavilhão Municipal da cidade, perante  várias dezenas  de militantes e simpatizantes, a sua candidatura à presidência da câmara  municipal.

Num discurso virado para as pessoas e para a necessidade de fazer mais pelo concelho, Alexandre Costa criticou  aquilo que considerou ser uma governação sem “rasgo”, “absolutista” e a “cultura do medo” do atual executivo PS, liderado por Humberto Brito.

“É uma governação que não tem como hábito ouvir os parceiros, nomeadamente as juntas de freguesia. Sou presidente de junta de freguesia há oito anos e são poucas as vezes em que participamos naquilo que são as decisões da câmara municipal. Normalmente reunimos uma vez por ano com o atual presidente da câmara. Não tem havido esta cultura de partilha que é necessária e por isso entendo que é uma das características negativas deste executivo municipal e que a partir de outubro queremos mudar”, disse, salientando  que a sua candidatura quer trazer um novo  perfil e estilo de governação, mais aberto e mais cooperante que esteja em contacto com a população, que perceba as suas necessidades.

“Acima de tudo defendo  uma governação e uma gestão  que tenha uma visão para o concelho. Falo de uma visão estratégica quer no desenvolvimento económico, quer também naquilo que deve ser a parceria que um executivo deve manter com as instituições, nomeadamente aquilo que são as instituições particulares de solidariedade social, as coletividades e associações desportivas e que estas não sejam convidadas para um Conselho Municipal do Desporto e que se diga aos dirigentes dessas mesmas associações, que tanto fazem pelo desporto no concelho, que as coletividades sobrevivem à custa da câmara municipal. É isso que queremos evitar. Queremos estender a mão a todos e não continuar neste pensamento único, naquilo que é o quero, posso e mando”, avançou.

Alexandre Costa apontou, também, críticas ao executivo socialista na questão da água e do saneamento.

“Já em abril interpelamos a câmara municipal e o seu presidente no sentido de prestar contas a Paços de Ferreira e aos munícipes sobre como é que está o estado deste contrato e aquilo que o Humberto Brito fez foi fazer uma conferência de imprensa, dizendo que ia empurrar esta questão, com a barriga, mais sete ou oito anos. Não é isso que queremos e posso afirmar que estamos a tratar de um processo para enviar para a DGAL, Tribunal de Contas, para a ERSAR, toda  a documentação no sentido de nos responderem às perguntas. Queremos saber como é que está o processo  de água e saneamento. É inadmissível que estando nós na entrada de um processo eleitoral que este executivo não preste contas à população. E se em 2013 cavalgou num movimento popular, em 2017 cavalgou naquilo que foi a baixa do preço do tarifário por uma decisão unilateral que hoje pode custar  50 ou  60 milhões ao concelho e agora em 2021 não sabemos em que é  que Humberto Brito  quer cavalgar. Aquilo que entendemos e que nos foi transmitido é que irá cavalgar num adiamento, numa artimanha jurídica. É isso que queremos evitar. Queremos que seja tudo claro. Depois de termos conhecimento de todas as situações, iremos analisar e havemos de entrar em diálogo com a concessionária, com o Governo e com quem tivermos de entrar para resolver a questão da água e saneamento no concelho”, atalhou.

O candidato social-democrata defendeu a criação de zonas de acolhimento empresarial, realçando que os empresários não encontram espaços no concelho para que possam desenvolver as suas atividades e crescerem.

“O concelho  dispõe de três tecidos empresariais fortes, o mobiliário, o têxtil e a metalomecânica que precisam de plataformas de fabrico e não encontram espaços no concelho para que possam desenvolver as suas atividades e crescerem. Algumas delas já abandonaram o concelho, não fomos capazes de atrair uma única empresa para o concelho nos últimos anos”, expressou, apontando, também,  a questão do urbanismo e a revisão do Plano Diretor Municipal como fundamentais para o território.

“Há também a questão do urbanismo e aquilo que  são as preocupações ambientais. Não  podemos ter fábricas ao lado de casas e casas ao lado de fábricas e armazéns ao lado de casas. Isto não pode continuar. Essa estratégia que foi desenhada no passado foi interrompida em 2014/15 pelo atual presidente da câmara municipal com a insolvência da PFR Invest. O PSD não quer retomar a PFR Invest, mas queremos ter um papel ativo através da revisão do PDM porque se o atual presidente da câmara tinha o objetivo de levar a PFR Invest para a insolvência devia ter deitado mãos a um trabalho paralelo que pudesse dar resposta aos empresários e esse trabalho  seria efetuar a revisão do PDM. Durante estes  anos, o presidente  da autarquia não fez uma revisão do PDM, pelo que os empresários quando querem crescer, efetuar algum alargamento das suas plataformas de fabrico têm que ir à câmara municipal pedir por uma revisão extraordinária do PDM. Neste último mandato já vamos com cerca de 40 ou 50 alterações ao PDM. Isto não é positivo. Acho que o concelho deve definir estratégias e no que toca ao PDM existem novas realidades que têm de ser previstas e acauteladas, nomeadamente, as questões ambientais, de transporte, da mobilidade”, concretizou.

Alexandre Costa, aos jornalistas, reiterou que o concelho está “paralisado”.

“As obras estruturantes do concelho foram todas efetuadas  nos mandatos do PSD. Durante estes oitos anos não houve nada estruturante que mudasse  o concelho. Temos de encontrar novos desafios, é preciso ter coragem e assumir alguns riscos, mas temos de ter um concelho dinâmico, capaz de competir com os concelhos vizinhos, seja capaz de atrair investimento e turismo”, acrescentou.

Na área do turismo, o candidato recordou que a Citânia de Sanfins, o maior centro castrejo da Península Ibérica, pode ser um forte pólo de turismo para o território que poderá potenciar o setor económico, o comércio local e a restauração.

“Em oito anos, nada foi feito, nem uma simples recuperação. O concelho de 2013 para cá parou e estes oito anos já  deu para ver que mais quatro serão iguais. Se em 2017 o PS não tinha passado, hoje o Partido Socialista já tem um passado, já tem oito anos de governação e é preciso fazer o exercício de olhar para estes oito anos de governação e ver o que aconteceu no concelho”, assegurou.

Alberto Machado, presidente da distrital do PSD Porto,  alinhou nas críticas ao executivo e confirmou que o município está a ser “mal governado”.

“O PSD aposta forte em Paços de Ferreira com o Alexandre Costa que é um homem de consensos, soluções e de proximidade às pessoas”, adiantou, assumindo que a candidatura de Alexandre Costa irá, desde logo, trazer uma mudança de paradigma,  uma forma diferente de gerir a câmara municipal e estar mais próximo das necessidades das pessoas e das necessidades do território.

O líder da distrital declarou que esta forma de gerir o município e que tem sido seguida pelo atual executivo está a “estagnar” o território.

“Acredito no Alexandre, tem as características de um líder, é uma pessoa de fazer coisas. Essas características são fundamentais para ultrapassar as dificuldades que o concelho tem”, destacou, confirmando estar convicto que o distrito do Porto possa dar um contributo significativo ao PSD, com o aumento de voto, autarcas, eleitos, juntas de freguesias e câmaras municipais, nestas eleições autárquicas.   


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!