Novum Canal

mobile

tablet

Poder local, a descentralização e desenvolvimento sustentável dominaram homenagem a José Guilherme Pacheco
Fotografia: Câmara de Paredes

Poder local, descentralização e desenvolvimento sustentável dominaram homenagem a José Guilherme Pacheco

Partilhar por:

A Câmara de Paredes, homenageou, esta quarta-feira, em seminário que decorreu na Casa da Cultura de Paredes, um dos mais ilustres paredenses, ex-presidente do município e conselheiro, advogado durante cerca de 30 anos e cujo nome está indissociavelmente ligado ao desenvolvimento do território.

A seu nome está  inclusive associado a um dos parques centrais da cidade, o Parque José Guilherme, tendo sido erigida uma estátua em sua memória.

Além da figura e do contributo de José Guilherme Pacheco para Paredes, o seminário abordou temas como o poder local, a descentralização e desenvolvimento sustentável, numa iniciativa contou inclusive com a presença do secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho, que, em exclusivo ao Novum Canal, abordou o tema da importância dos autarcas locais, da coesão e do desenvolvimento sustentável.

O governante analisou, também, a questão das descentralização das medidas para as autarquias por parte do Governo, realçando que António Costa tudo tem feito no sentido de promover o desenvolvimento dos territórios em articulação com as autarquias.

“O Governo tem um conjunto de comités que estão na própria lei e que são as comissões de acompanhamento,  no âmbito das quais os autarcas marcam reuniões com os diretores regionais, esclarecem tudo o que há a esclarecer sobre matéria a descentralizar. Estamos a  fazer um conjunto de webinars que vão apoiar os autarcas naquilo que é um conjunto de competências. Na prática vamos ter os responsáveis nacionais pelas áreas que vão descentralizar para que possamos ajudar a resolver as questões e as dúvidas dos autarcas para que com confiança assumam esta responsabilidade”, disse.

Fotografia: Câmara de Paredes

O governante realçou que o Governo está a iniciar a descentralização, sustentando que a regionalização é outro patamar.

“A descentralização tem a ver muito com municipalismo, passar competências do Estado Central para os municípios, uma parte  delas já passaram por força da lei, mas há três: ação social, educação e saúde, que têm prazo até março de 2022. Acreditamos fortemente neste e nos outros municípios cujo dinheiro o Estado investe e cujas respostas por estarem mais próximas da realidade local farão esse papel muito melhor. Temos um Programa Operacional que está em curso, temos um PRR que vai entrar agora, depois teremos um PO regional que vai até 2027 ou 2028, o orçamento nacional e um conjunto de verbas”, frisou.

O secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local relevou que o importa é a dinâmica de crescimento e criar condições para as pessoas, minimizando as assimetrias regionais.

“Queremos criar polos de atratividade para as pessoas se fixem naqueles territórios, criando riqueza e criando condições de felicidade para si e para as suas famílias. Queremos que os portugueses tenham uma possibilidade em Portugal, no seu território, no seu país, na sua cidade, para que a nossa história não tenha de ser um fado de litoralização”, expressou. 

O presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, falou da importância do trabalho desenvolvido pelo poder local, referiu-se, aos problemas existentes no concelho, assim como às potencialidades do território.

O chefe do executivo referiu-se aos programas comunitários que é necessário aproveitar, do dinheiro que vem do Plano de Recuperação e Resiliência, da habitação social, do saneamento básico, da aposta nas escolas, nos recintos desportivos.

O presidente da Câmara de Paredes reconheceu que o futuro coletivo será fundamental para o país e para as regiões, mas para isso é fundamental que os líderes se unam.

“Aproveitamos o bicentenário do nascimento de José Guilherme Pacheco que contribuiu para o desenvolvimento do território e para fazer de Paredes o que é hoje, para refletir naquilo que são os desafios do território uma iniciativa que coincidiu com a parte final  do nosso mandato. Optamos, também, por envolver os paredenses nesse desígnio através da realização de um inquérito em que convidamos os munícipes a dizerem qual o Paredes 2030 que pretendem”, concretizou.

Fotografia: Câmara de Paredes

O chefe do executivo precisou que para continuar a fixar pessoas ao território é fundamental apoiar o tecido empresarial, o comércio, assim como outros setores, reiterando estar a fazer um trabalho na melhoria das zonas industriais.

“Por outro lado, queremos dar condições de habitação à população jovem do concelho e daí que uma das apostas do meu executivo seja o aumento da habitação social, assim como a criação de habitações a preços controlados”, avançou, sustentando a importância da aposta no turismo, sobretudo, na zona sul do território.

“Uma parte da zona sul do município que está em pleno Parque das Serras do Porto e está ainda por explorar. Quer o meu executivo quer a Associação do Parque das Serras do Porto pretendemos fazê-lo, fomentando o turismo de natureza, mas também incrementar o turismo industrial, nomeadamente, no Mosteiro de Vilela, num projeto para a criação de um centro de interpretação para a indústria do mobiliário, um museu vivo do mobiliário”, asseverou.

O autarca enfatizou, também, a necessidade do município continuar a investir na educação.

“A aposta na educação terá de ser uma constante, o futuro da indústria e do nosso futuro depende dos centros escolares, sem descurar o apoio aos idosos e a apoio ao polo universitário  Cespu, instituição que tem estado em forte expansão”, manifestou, apontando, também, para a importância do resgate da água e saneamento.

“Passado este período de campanha, tenho a certeza que todos vamos convergir na resolução deste grave problema que o concelho tem porque temos de estar todos no mesmo barco e reconhecermos que este é um dos graves problemas do território que tem de ser resolvido”, atalhou.

A autarquia paredense declara, em comunicado, que José Guilherme Pacheco foi “uma das mais ilustres referências do Concelho de Paredes. A sua estátua no jardim em frente aos Paços do Concelho evidencia a relevância que lhe é atribuída. Mais do que ter sido Presidente da Câmara Municipal de Paredes, cargo que desempenhou ao longo de sete anos, é lembrado pela visão e contributo que deu para o desenvolvimento do Concelho de Paredes: o telégrafo, a rede viária, a passagem do comboio e a construção de várias escolas”.

“José Guilherme Pacheco nasceu no Rio de Janeiro a 10 de Fevereiro de 1821. Veio com os seus pais para Portugal ainda criança. Formou-se em direito na Universidade de Coimbra. Desempenhou vários cargos públicos. Foi cofundador do Jornal de Notícias”, destaca o município que sublinha que para comemorar o Bicentenário do seu nascimento (1821 – 2021), “ está a organizar um conjunto de iniciativas socioculturais, reconhecendo e homenageando a importante personalidade, tendo como momento de maior destaque a conferência de dia 5 de maio de 2021”.

Fotografia: Câmara de Paredes

O programa de conferências que decorreu na Casa da Cultura contou com a presença dos historiadores Fernando de Sousa e José Pacheco Pereira, tendo como moderadores os jornalistas Carlos Daniel e João Pacheco Miranda.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!