Novum Canal

mobile

tablet

Dimensão simbólica da vinha e paisagem cultural retratada pela Rota do Românico em exposições
Fotografia: Rota do Românico

Dimensão simbólica da vinha e paisagem cultural retratada pela Rota do Românico em exposições

Partilhar por:

Rota do Românico inaugura no dia 13 um ciclo de exposições  intitulada “Ver do Bago”, iniciativa que pretende celebrar a relação material e simbólica entre a vinha e a paisagem cultural e humana dos vales do Sousa, Douro e Tâmega.

A Rota do Românico esclarece, em comunicado, que  é “a protagonista e coautora de uma viagem em três etapas em que o território é a ideia e a cultura o instrumento, propondo um ciclo de três exposições que celebra a relação material e simbólica entre a vinha e a paisagem cultural e humana dos vales do Sousa, Douro e Tâmega”.

Já no dia 13 de maio deste ano a meados do próximo, a Rota do Românico realça que a trindade de eventos a “Ver do Bago”, leva-nos “numa viagem por um notável tríptico de lugares inesquecíveis, em Baião primeiro, em Penafiel a seguir e chegando, já em 2022, a Lousada”.  

“A primeira exposição deste ciclo, chamada “Ver do Bago nos Mosteiros”, será inaugurada no próximo dia 13, quinta-feira, às 15h30, e convida-nos, a partir do Mosteiro de Santo André de Ancede, em Baião, a celebrar um verdadeiro brinde entre Deus e os Homens em torno do diálogo entre escultura, pintura e arqueologia, propondo a todos um roteiro interpretativo que evidencia a importância que a cultura da vinha e o consumo do vinho tiveram em todos os momentos da vida destas gentes”, acrescenta a Rota do Românico que este três mostras permitem descobrir peças preciosas.

Fotografia: Rota do Românico

“Através do mergulho em quatro espaços expositivos totalmente distintos (o Rio; o Mosteiro; a Adega; e o Lagar), descobriremos peças preciosas, como o tesouro nacional que é o tríptico de São Bartolomeu, só exposto há quase um século (Exposição do Mundo Português, anos 40 do século XX), e experimentaremos duas verdadeiras experiências imersivas”, refere a nota à imprensa.

“Já se imaginou a literalmente entrar num copo de vinho? E há quanto tempo não pisa num lagar? E quando antes folheou, leu e coescreveu um livro digital interativo, que nesta exposição começa agora a ser construído e que só terminará com o fim do ciclo das três exposições, daqui a mais de um ano?”, alude o mesmo comunicado que acrescenta: “Agora que, finalmente, podemos estar juntos, queremos mesmo estar juntos. Connosco. Com Deus. Com o Homem. Com o Vinho. E com a Arte”.

A Rota do Românico declara que o “projeto “Ver do Bago” é cofinanciado pelos municípios que integram a Rota do Românico e pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, no âmbito da operação “O Vinho, a Arte e os Homens”, conta com o apoio da “Diocese do Porto, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, da Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes, da Direção Regional de Cultura do Norte, do Turismo do Porto e Norte de Portugal, entre outras entidades”.

Fotografia: Rota do Românico

“A Rota do Românico reúne, atualmente, 58 monumentos e dois centros de interpretação, distribuídos por 12 municípios dos vales do Sousa, Douro e Tâmega (Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende), no Norte de Portugal”, avança a nota à comunicação social que recorda que “as principais áreas de intervenção da Rota do Românico abrangem a investigação científica, a conservação do património, a dinamização cultural, a educação patrimonial e a promoção turística”.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!