Novum Canal

mobile

tablet

Publicidade

Ministra da Saúde reitera confiança nas vacinas
Fotografia: DGS

Ministra da Saúde reitera confiança nas vacinas

Partilhar por:

A Ministra da Saúde, Marta Temido, reiterou ter confiança nas vacinas que estão a ser administradas em Portugal.

A responsável pela pasta da Saúde manifestou ter confiança na vacina Astrazeneca, reforçando que esta é eficaz.

Refira-se que o apelo da titular da Saúde surge um dia depois, da Direção-Geral de Saúde (DGS) ter recomendado a utilização da vacina da Astrazeneca acima dos 60 anos, destacando, com base no  “Comité de Avaliação de Risco em Farmacovigilância (PRAC) da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) que “acima dos 60 anos não houve uma associação entre a utilização desta vacina e a ocorrência destes fenómenos trombóticos” e que “abaixo dos 60 anos há uma associação a fenómenos trombóticos raros e acima do esperado, que continuam em investigação”.

A DGS realça no seu site que a “decisão de vacinar tem sempre em conta um balanço entre os benefícios (prevenir a doença) e os riscos (reações adversas da vacina)”, recordado que “à medida que a idade avança, o risco de complicações por COVID-19 aumenta e diminui o risco dos eventos trombóticos que estão a ser associados a esta vacina”.

A DGS esclarece que “nas populações mais jovens, o risco de complicações de COVID-19 é baixo, sobretudo em pessoas sem doenças, e é nestas populações que foram verificados os fenómenos trombóticos em investigação”.

DGS recomenda utilização da vacina da AstraZeneca acima dos 60 anos
Fotografia: Direção-Geral de Saúde

A DGS recomenda a “administração da vacina da AstraZeneca a pessoas com mais de 60 anos, onde não se observou uma associação a risco de efeitos adversos e onde os benefícios da vacinação são claros”.

“O Plano é ajustado para garantir que todas as pessoas serão vacinadas com a vacina que garante a sua maior proteção e segurança, de acordo com os grupos prioritários definidos”, lê-se na informação que consta do site da DGS que constata que quanto às pessoas que já foram vacinadas com a vacina da AstraZeneca, “ estes fenómenos são extremamente raros”, recomendando-se, contudo, que as “pessoas vacinadas se mantenham atentas ao surgimento de eventuais sintomas nas duas semanas após a vacinação e que contactem o seu médico assistente em caso de dúvidas”.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!