Novum Canal

mobile

tablet

Reportagem: Presidente do Centro Social e Paroquial de Recarei pede apoio para avançar com unidade de cuidados continuados

Partilhar por:

O presidente do Centro Social e Paroquial de Recarei, Padre Pedro Silva, fez, esta quarta-feira, um repto ao presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, no âmbito da visita às obras de ampliação de áreas funcionais do lar, para que ajude a instituição a avançar com o processo de construção de uma unidade de cuidados continuados.

Ao Novum Canal, o Padre Pedro Silva afirmou que um lar deve ter a continuidade para uma unidade de cuidados continuados.

“É um desejo meu e da direção e mesmo de quem trabalha aqui porque as pessoas vêm para cá e acabam por ficar cada vez mais dependentes e numa unidade de cuidados continuados teríamos oportunidade de lhes prestar um cuidado mais assertivo que o lar não está tão vocacionada para esse fim. Os utentes vindo para cá, vão passar aqui os seus últimos anos e nesses últimos anos, muitos deles chegam a acamar e numa unidade de cuidados continuados teriam uma qualidade de serviço superior à que têm no lar porque esta valência está mais vocacionado para pessoas que ainda têm alguma mobilidade”, disse.

Falando nas obras de ampliação de áreas funcionais do lar, uma das várias valências da instituição, que iniciaram há cerca de dois meses, o responsável pelo Centro Social e Paroquial de Recarei realçou o apoio da autarquia, uma ajuda que manifestou vai permitir concluir esta intervenção que assumiu ser também fundamental para a instituição.

“Era uma obra desejada, esta obra vem a acompanhar o início do processo do lar, no entanto, não foi possível nenhuma candidatura, trata-se de uma casa que adquirimos que era o lugar de férias da habitação de um casal a quem compramos este espaço, mas que para casa de habitação não serviria. Optamos por reaproveitá-la para alargamento de espaços do lar e foi possível conseguirmos essa candidatura ao Norte 2020, pelo que iremos ficar mais dotados de mais salas, mais espaços de trabalho para a equipa técnica, alargamento da lavandaria, de uma copa de apoio à cozinha. É um espaço que vai dar ligação a todo este projeto do Centro Social e Paroquial”, frisou, reiterando que o protocolo permitiu viabilizar a ampliação deste espaço, tendo relevado também o trabalho da autarquia no apoio às instituições.

O Padre Pedro Silva declarou que a intervenção de ampliação ultrapassa os 200 mil euros.

“Este apoio é bem-vindo, vem colmatar o que vem da candidatura,  cerca de 100 a 120 mil euros, pelo que fica-nos a faltar entre 80 a 90 mil eros. Nesta fase não teríamos possibilidade de arcar com esse montante. Estamos a acabar de pagar o projeto do lar que foi um processo que já vem de há 10 anos”, disse, salientando que a instituição abriu o lar em 2006, uma obra de grande envergadura, estando ainda a direção com o encargo bancário.

“Se não fosse esta ajuda não teríamos possibilidade de arrancar agora e recuperar esta casa”, insistiu, mostrando-se confiante que a a requalificação estará concluída para o próximo outono.

Referindo-se ainda ao Centro Social e Paroquial, o Padre Pedro Silva esclareceu que este é um equipamento  recente, nasceu da necessidade de dar resposta à zona sul do concelho e chegar o mais próximos das pessoas.

“Nasceu com a valência do centro de apoio domiciliário e centro de convívio. Com o decorrer dos anos fizemos uma candidatura ao lar e à creche que estão a funcionar desde 2015/ 2016, o alargamento do espaço da creche e da ERPI e para o futuro já temos outros projetos”, avançou, sublinhando que a instituição tem mais de 150 utentes divididos entre o centro de convívio, o lar, com cerca de 50 camas, a creche, com capacidade para 33 crianças, o apoio domiciliário, com 50 utentes.

“Estão sempre a surgir pessoas que nos solicitam apoio, mas também apoiamos quem não está em acordo nenhum e nesta fase particularmente. Estou a falar de pessoas que têm necessidades de alimentação, apoio médico, precisam de ajuda para adquirir uma receita. O apoio é muito transversal mesmo em situações em que não há apoio nenhum de cooperação”, precisou.

“Estando identificada esta necessidade e existindo terreno para isso, há que avançar com o projeto e da parte do município daremos todo o apoio para a candidatura de forma a que vindo aprovada possamos avançar com isso o mais rapidamente possível”

Ao repto feito pelo presidente do Centro Social e Paroquial de Recarei, o presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, mostrou-se disponível para colaborar e avançar de imediato com o projeto.

“Da análise que fizemos do Plano de Recuperação e Resiliência para o país, essa é uma das áreas que está prevista ser apoiadas. Ao nível da saúde é uma das infraestruturas que está identificada, temos já a experiência de uma dessas unidades que está a funcionar em Gandra e era nosso objetivo analisar aonde é que poderíamos avançar com outra unidade como a de Gandra. Estando identificada esta necessidade e existindo terreno para isso, há que avançar com o projeto e da parte do município daremos todo o apoio para a candidatura de forma a que vindo aprovada possamos avançar com isso o mais rapidamente possível”, avisou.

Refira-se que a autarquia irá assegurar a comparticipação nacional da candidatura deste projeto ao Norte 2020.

Quanto às obras de ampliação de áreas funcionais do lar, o chefe do executivo municipal afirmou que foi solicitado o apoio à autarquia, que avançou com uma candidatura, dado que a intervenção ficava além dos 200 mil euros.

“Procuramos encontrar um apoio que cobrisse toda a obra. Logo que surgiram apoios para equipamentos sociais na Área Metropolitana do Porto, esta foi uma das obras que identificámos. Com isto consegue-se uma candidatura para um apoio global superior a 200 mil euros em que uma parte é comparticipada  pelos fundos comunitários, a outra parte é componente nacional. Os 15% que teria de ser o centro a apoiar, é a câmara municipal que irá suportar. Desta forma conseguiremos acabar em definitivo este espaço”, retorquiu.  

O chefe do executivo relevou a dinâmica do Centro Social e Paroquial de Recarei e recordou que o território está munido de “excelentes” instituições particulares de solidariedade social.

“Toda a parte de apoio à terceira idade, às crianças nas creches, está assente em instituições muito bem profissionalizadas e que funcionam de uma forma autónoma com os protocolos que têm com a Segurança Social. Sempre que surgem oportunidades de investimento, como foi o caso do PARES avançamos. Tivemos desde o primeiro momento ao lado das instituições a apoiar na apresentação de candidaturas. No fundo estamos a facultar os instrumentos para que as instituições caminhem pelos seus próprios pés e proporcionem mais serviços à comunidade”, afiançou.  

A assinatura do protocolo de cooperação e visita às obras de ampliação do lar de Recarei contou, também, com as presenças do vice-presidente da câmara municipal, Francisco Leal, da vereadora Beatriz Meireles e dos vereadores Paulo Silva e Elias Barros, assim como do presidente da Junta de Freguesia de Recarei, Belmiro Sousa, e elementos da direção da IPSS.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!