Novum Canal

mobile

tablet

Publicidade

Biblioteca de Penafiel assinala 26 anos de existência esta quinta-feira

Partilhar por:

Fotografia: Biblioteca de Penafiel

A Biblioteca Municipal de Penafiel assinala, esta quinta-feira, 26 anos de existência, no atual edifício do Palacete do Barão do Calvário.  

A diretora da Biblioteca de Penafiel confirma, contudo, em declarações ao Novum Canal, que a ideia de instaurar é mais antiga, remonta a meados do século XIX, existindo um pedido de alguns livros à Biblioteca do Porto para a construção de uma biblioteca.

A própria Biblioteca Municipal contextualiza, numa mensagem que partilhou na sua página oficial do facebook, os momentos históricos que comprovam a ideia de se criar uma Biblioteca em Penafiel.  

“A Biblioteca Municipal de Penafiel assinala no próximo dia 4 de março, 26 anos de existência no atual edifício do Palacete do Barão do Calvário, contudo a sua história remonta ao séc. XIX já que há notícias  de em 1863 se terem pedido alguns livros à Biblioteca do Porto que esta tivesse em duplicado, para  a construção de uma biblioteca, não tendo no entanto qualquer apoio por parte do município, uma vez que não estava, à altura, reservada qualquer verba do orçamento anual para dotar um estabelecimento de leitura pública”, refere o texto que recorda que na década de 70, a câmara colocou, pela primeira vez, uma verba destinada à compra de livros.

“Só em 1871 a Câmara colocou no seu orçamento uma rubrica destinada à compra de livros e outra para assinar o Diário do Governo e o Repertório das Câmaras, sendo que em 1885 e após muitas controvérsias, a Câmara nomeia a primeira comissão organizadora constituída por pessoas com experiência em altos cargos autárquicos, pedindo à Biblioteca Municipal do Porto uma cópia do regulamento e a explicação das tarefas a cargo dos funcionários. Para além desta instituição, foi feito um comunicado a todos os penafidelenses que tivessem obras repetidas ou que já não tivessem interesse nas mesmas para as doarem à biblioteca, de forma a aumentar e a valorizar o fundo documental existente”, lê-se na mensagem que acrescenta que a  morte “de Francisco de Sousa Vinhós (1914) e a doação da sua valiosa biblioteca particular pelo irmão, José de Sousa Vinhos”, fez com que outras pessoas começassem a prócer a ofertas de livros.

”No decorrer do tempo, a ideia de se criar uma biblioteca ia sendo posta de parte por todos, até que após a morte de Francisco de Sousa Vinhós (1914) e a doação da sua valiosa biblioteca particular pelo irmão, José de Sousa Vinhós, começou a haver ofertas de outras pessoas. A quantidade de documentos iniciais rondava os setecentos exemplares, mas estes cresciam significativamente através de alguns doadores e à grande dedicação de Luís Carlos de Chatillon da Rocha Bessa”, avança a Biblioteca de Penafiel que sublinha que este equipamento viria a ser inaugurada em 6 de junho de 1917.

“A 6 de junho de 1917 é finalmente inaugurada a Biblioteca Municipal de Penafiel, sita na Avenida Araújo e Silva vindo a ser encerrada apenas dois anos depois, com a partida do seu principal organizador para o Porto, o que contribuiu para o abandono, deterioração e desaparecimento de valiosos documentos”, refere a biblioteca, destacando que “no ano de 1926 fez-se mais uma tentativa de abertura da Biblioteca, ficando Abílio Miranda (vereador da Câmara Municipal) encarregue de a organizar, mas só reabriria em 1927, ficando a funcionar em horário nobre entre as 20 e as 22 horas tendo voltado a fechar passado dois anos apenas, após o despedimento de Abílio Miranda, por este considerar encontrar-se sob alvo de perseguição política”.

Fotografia: Biblioteca de Penafiel

O texto declara, ainda, que “em julho de 1947 por iniciativa da Câmara, é renomeado Abílio Miranda para reorganizar a Biblioteca. No que respeita às instalações, a Câmara tinha adquirido anteriormente o Palacete do Barão do Calvário na Praça da República, construído por Manuel Pereira da Silva (1853), passando assim a Biblioteca a funcionar no rés-do-chão deste edifício. Esta instituição albergava em simultâneo o tribunal, casas de magistrados, repartições públicas e cadeia”.

O texto avança, ainda, que “com a morte de Abílio Miranda, diretor da Biblioteca (1962) é nomeado o Dr. Ângelo Pimentel e em 1989, com o objetivo de serem efetuadas obras de recuperação no referido palacete, a Biblioteca transferida provisoriamente para o Salão Polivalente Municipal. Finalmente a 4 de março de 1995, é inaugurada a atual Biblioteca Municipal de Penafiel, pelo então Presidente da República, Dr. Mário Soares”.

A Biblioteca Municipal de Penafiel “integra a Rede de Leitura Pública, a Rede de Bibliotecas do concelho de Penafiel, a Rede de Bibliotecas do Vale do Sousa, sendo também Biblioteca Associada da Unesco”.

Presentemente, o edifício da Biblioteca de Penafiel está a ser alvo de obras de requalificação de toda a estrutura.


Partilhar por:

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!