Novum Canal

mobile

tablet

Gondomar: CDS-PP aplaude decisão do executivo de manutenção do contrato de concessão com a AdG

Partilhar por:

O CDS-PP Gondomar aplaude a decisão do executivo municipal, liderado por Marco Martins, de manutenção do contrato de concessão com as Águas de Gondomar (AdG).

Em comunicado enviado ao Novum Canal, a Comissão Política Concelhia do CDS-PP afirma que na sequência das notícias que tem vindo a público ao longo dos últimos meses sobre “os pedidos de resgate da concessão dos Serviços Públicos Municipais de Abastecimento de Água Potável e de Tratamento de Águas Residuais à Empresa concessionária Águas de Gondomar, nomeadamente as apresentadas pelo PCP de Gondomar e pelo Movimento Cívico em Defesa dos interesses do Consumidores das Águas de Gondomar”, decidiu solicitar uma reunião com caráter de urgência à “Direção-Geral da Empresa Águas de Gondomar, SA (AdG) no sentido de abordar o contrato de concessão, os tarifários em vigor, o equilíbrio financeiro da empresa”.

Os centristas explicam que em cima da mesa estiveram também temas como “o ritmo da execução do Plano de Investimentos, a cobertura das Redes de Abastecimento de Água e de Saneamento do Concelho, para além de outros assuntos relacionados com a concessão”.

“A CPC do CDS Gondomar registou com muito agrado que o executivo municipal de Gondomar seja favorável à manutenção do contrato de concessão com as AdG, posição também defendida desde o início pelo CDS de Gondomar”, lê-se no comunicado que nos foi enviado que releva o facto da empresa ter mostrado disponibilidade para renegociar o contrato de concessão em vigor.

“O CDS de Gondomar manifesta publicamente o seu contentamento pela abertura demonstrada pela empresa concessionária Águas de Gondomar, SA no sentido de renegociar o contrato de concessão em vigor celebrado entre esta entidade e o município de Gondomar, tendo em vista a redução dos tarifários em vigor, indo assim ao encontro dos desejos de muitas famílias e empresas gondomarenses”.

O CDS-PP Gondomar, na mesma nota de imprensa, distancia-se da posição do PCP, invocando que a reversão  da concessão implicaria um impacto financeiro nas já de si “frágeis conta da autarquia”.

“Para espanto da CPC do CDS de Gondomar, na sequência da notícia da Agência Lusa do dia 18 de Dezembro de 2020 relativa ao pedido de resgate da concessão efetuada pelo Vereador do PCP, Daniel Vieira, em que o próprio quando questionado sobre o valor da indemnização a pagar pela Câmara Municipal de Gondomar às Águas de Gondomar, afirmou desconhecer o valor da mesma, no entanto não se absteve de propor a reversão da concessão sem demonstrar a mínima preocupação com o brutal impacto financeiro que tal decisão teria nas já de si frágeis conta da Autarquia e nas consequências futuras para o Município, para os Gondomarenses e para as empresas do concelho”, referem os centristas, acrescentando que o município tem ainda em mãos por resolver uma dívida à EDP no valor de 28,8 milhões de euros.

Fotografia: CDS-PP Gondomar

“O vereador Daniel Vieira esqueceu-se que o município tem ainda em mãos por resolver uma dívida à EDP no valor de 28,8 milhões de euros, bem como uma outra dívida de 11 milhões de euros que o Tribunal de Contas obrigou, em Março de 2019, a Câmara Municipal de Gondomar a incorporar na dívida global do Município, relativa às rendas dos conjuntos habitacionais municipais”.

Sobre este assunto, os centristas de Gondomar advogam ainda: “É com muita surpresa que a CPC do CDS de Gondomar reagiu a este pedido, tendo em consideração as várias notícias que vierem a público na Comunicação Social sobre o valor que o Município vizinho de Paredes terá de pagar à entidade concessionária local, no valor de 200 milhões de euros, sendo certo que o Município de Paredes relativamente a Gondomar tem menos de metade da população e das empresas, o que significa que a proposta apresentada pelo Vereador Daniel Vieira, representaria num valor de indemnização a pagar às AdG muito superior aquele que será pago pela Câmara Municipal de Paredes à entidade gestora local”.

O CS-PP apelida a proposta do vereador da CDU  de “verdadeiramente irresponsável, irrealista, demagógica, populista”.

“Face ao acima exposto, consideramos esta proposta do Vereador da CDU, Daniel Vieira, e igualmente subscrita pelo Movimento Cívico em Defesa dos interesses do Consumidores das Águas de Gondomar verdadeiramente irresponsável, irrealista, demagógica, populista, e sem o mínimo de preocupação em defender os verdadeiros interesses dos Gondomarenses e da Autarquia, sendo uma proposta completamente eleitoralista a poucos meses das Eleições Autárquicas a realizar em Outubro deste ano. Entendemos que acima dos interesses Partidários e Eleitorais, numa altura particularmente difícil que as Famílias e as Empresas Gondomarenses estão a atravessar, o foco de preocupação da ação política dos Partidos no geral deve ser apresentar medidas realistas que respondam às reais dificuldades que o País e em particular, o Concelho de Gondomar estão a enfrentar”, avança o CDS-PP que reitera defender a renegociação do contrato de concessão entre as Águas de Gondomar e Câmara Municipal de Gondomar.

“Neste sentido e na sequência da reunião que a CPC do CDS de Gondomar teve com a Direção -Geral das Águas de Gondomar, propomos a renegociação do contrato de concessão entre as Águas de Gondomar e Câmara Municipal de Gondomar, no sentido de prolongar o contrato por um determinado período de tempo que permita às AdG amortizar dívidas contraídas pela Empresa junto da banca para executar o Plano de Investimentos previsto no contrato de concessão, permitindo com esta solução baixar de forma acentuada as tarifas atualmente aplicadas, e sem qualquer custo ou perda de verbas provenientes das rendas da concessão para o Município de Gondomar”, refere a mesma nota.

O CDS-PP propõe, também, “a alteração da forma de calculo da taxa que incide sobre os resíduos sólidos urbanos, introduzindo o princípio do utilizador/pagador, sendo esta uma solução justa e amiga do ambiente, tendo em conta que vai introduzir junto dos Gondomarenses a preocupação pela reciclagem e separação dos resíduos produzidos por cada Família. Este é um desafio que o CDS de Gondomar lança ao Executivo Municipal de Gondomar, para iniciar esta proposta num projeto piloto que arranque numa das Freguesias do Concelho, de forma a ser gradualmente alargado às restantes Freguesias, abrangendo no seu final todo o concelho”.

Contactado pelo Novum Canal, fonte da CDU Gondomar considerou “que o comunicado do CDS não tem qualquer correspondência com a realidade, nem com nenhuma proposta dos vereadores da CDU na Câmara Municipal de Gondomar”.

“Sem contributos sérios para a discussão desta matéria, o CDS procura dar uma prova de vida política. A CDU é a única força política no concelho que tem intervenção sobre o tema em questão, com propostas e reivindicações conhecidas e não alimentará nenhuma tentativa de gerar polémicas para angariar protagonismo político de outras forças políticas”, refere a CDU.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!