Novum Canal

mobile

tablet

AHRESP defende que “realidades setoriais distintas requerem tratamentos diferenciados”
Fotografia: Câmara de Castelo de Paiva

AHRESP defende disponibilização urgente de apoios para empresas recentes

Partilhar por:

Fotografia: Câmara de Castelo de Paiva

A Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) defende a urgente disponibilização dos apoios existentes às empresas que iniciaram a sua atividade e faturação no decorrer do ano de 2020, que atualmente estão impedidas de aceder aos apoios a fundo perdido.

Em comunicado enviado ao Novum Canal, a associação destaca que “a grande maioria destes empresários iniciaram o seu investimento em 2019 ou nos meses de janeiro e fevereiro de 2020, altura em que era impossível prever a grave situação de crise económica que estamos a atravessar, e agora estão excluídos dos apoios disponíveis, por não haver histórico de faturação suficiente para evidenciar uma quebra, ou simplesmente por não estarem legalmente constituídas a 1 de janeiro de 2020”.

Segundo a AHRESP, “é importante que sejam encontradas formas de apoiar estas novas empresas que, com níveis de faturação próximos de zero, não dispõem de liquidez para sobreviver aos próximos meses”.

A AHRESP considera, também, que os mecanismos agora em vigor e colocados à disposição das empresas, face ao agravamento do estado pandémico, são manifestamente insuficientes.

“ A Comissão Europeia veio agora permitir aos Governos dos Estados-Membros reforçarem os apoios, decidindo prorrogar até 31 de dezembro de 2021 o Quadro Temporário relativo a medidas de auxílio estatal, aprovado em 19 de março de 2020 para apoiar a economia no contexto do surto de coronavírus. Também decidiu alargar o âmbito do Quadro Temporário através do aumento dos limites máximos nele estabelecidos e da possibilidade de conversão de empréstimos e outros instrumentos em subvenções diretas até ao final do próximo ano”, lê-se no boletim diário da instituição que releva também o apoio das autarquias às empresas de alojamento turístico e da restauração.

Fotografia: Câmara de Castelo de Paiva

“Face à crise sem precedentes que as empresas do alojamento turístico e da restauração e similares estão a viver, a intervenção do Poder Local tem sido essencial. Desde o início da pandemia, a AHRESP tem vindo a incentivar, através de contactos diretos e reuniões de apresentação do seu Plano de Dinamização Autárquico, as autarquias a serem parceiras das empresas nas matérias em que podem fazer a diferença no apoio ao seu funcionamento, nomeadamente no que toca à isenção de taxas de esplanadas, facilitação de processos de licenciamento ou outras medidas extraordinárias de apoio que permitam mitigar o impacto da crise num tecido empresarial muito fragilizado”, avança a associação que confirma que a lista de autarquias que têm vindo a apoiar o funcionamento da atividade das empresas de restauração, similares e do alojamento turístico tem sido notável.

A associação esclarece, ainda, que através do site da AHRESP faz um balanço das medidas apresentadas e em vigor município a município, estando a informação em constante atualização.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!