Novum Canal

mobile

tablet

Ministra da Saúde esclareceu que Governo está a trabalhar para vacinar na primeira semana de janeiro

Partilhar por:

Fotografia: DGS

A Ministra da Saúde, Marta Temido, avançou, na conferência de imprensa sobre a situação da pandemia de Covid-19 de dia 11 deste mês, que o Governo está a trabalhar para começar a vacinar na primeira semana de janeiro de 2021.

“Sobre a previsão de que na primeira semana de janeiro possamos estar a vacinar , sublinhar  que sim, estamos a trabalhar para isso. De facto, os calendários têm sido sucessivamente repetidos. Prevista para dia 29 de dezembro, uma reunião da Agência Europeia do Medicamento  sobre uma das vacinas em avaliação, prevista eventualmente para os primeiros dias de janeiro a distribuição de vacinas aos vários países e da nossa parte, também, em articulação com os ministérios da saúde de outros países a preparação para que as vacinas possam ser administradas, estamos a fazer todo o esforço para que isso possa acontecer nesses primeiros dias de janeiro”, disse.

Falando do aligeiramento de medidas no Natal e Ano Novo, a responsável  pela pasta da Saúde concretizou ser determinante, não relaxar naquilo que são os critérios definidos elas autoridades de saúde, independentemente do nível de risco de cada local do país.

“É muito importante que independentemente do nível de risco de cada local do país todos recordemos que alívio de medidas não é relaxamento e que os dias que vêm aí, que normalmente são dias de festa, de convívio, de troca de afetos, de abraços, de prendas, não podem, este ano, ser vividos da forma habitual. Penso que já todos interiorizamos isso. Devemos lembrá-lo  de cada vez que a tentação nos leva a ponderar ou pensar  em fazer um gesto que depois deita tudo a perder”, expressou, sustentando que temos de ter uma grande contenção.

Fotografia: DGS

A governante declarou que as autoridades de saúde vão continuar a fazer uma avaliação da situação epidemiológica, assegurando que o Governo não hesitará, caso seja necessário, em tomar medidas mais gravosas.

“É um equilíbrio difícil para o qual contamos com a ajuda de todos de todos os portugueses”, expressou, sublinhando que o número de testes que o país tem realizado não tem sofrido alterações.  

Marta Temido esclareceu, por outro lado, que o Governo está a trabalhar e irá manter a informação atualizada quanto à administração das vacinas em estruturas residenciais para idosos, à administração de vacinas em estabelecimentos prestadores de cuidados de saúde aos profissionais de primeira linha que venham a ser identificados como prioritários e às pessoas que reúnam os critérios clínicos para serem vacinadas na primeira fase em função da sua idade e com morbilidades associadas em centros de saúde, independentemente de terem ou não terem médicos de família.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!