Novum Canal

mobile

tablet

Publicidade

Autarquias destacam bancos locais do voluntariado no Dia Internacional do Voluntariado

Partilhar por:

Fotografia: Câmara de Lousada

São vários os municípios  que assinalam a celebração , este sábado, do Dia Internacional do  Voluntariado, data instituída em 1985 pelas Nações Unidas tem como propósitos relevar o trabalho e a entrega dos voluntários que, em diferentes áreas e domínios, fazem do voluntariado uma missão e um exercício de cidadania.

Na região  do Vale do Sousa, Lousada assinala a data fazendo uma referência ao trabalho que o Banco Local de Voluntariado que tem realizado em diferentes áreas e que tem contribuindo para  fomentar a autoestima, o enriquecimento ativo dos mais idosos.

O Banco Local do Voluntariado de Lousada foi “formalmente criado em fevereiro de 2010 e atualmente conta com 67 voluntários, que colaboram nos diferentes Movimentos Seniores do concelho”, lê-se na curta mensagem que a autarquia partilhou na sua página que releva o trabalho que o grupo de voluntários que integra este banco tem promovido em prol dos mais idosos, contribuindo, também, para promover uma melhor qualidade de vida dos muitos seniores que integram os movimentos que estão espalhados por vários pontos do concelho.

Na mesma publicação, o município esclarece que o passeio  que habitualmente realiza, num  gesto de gratidão para com os voluntários do Banco Local, teve de ser adiado devido à crise sanitária que está a afetar a região e o país.

Para assinalar a data e dada a impossibilidade de realizar o passeio, a autarquia, pelo vereador da Ação Social, entregou um livro de anotações.

“Anualmente, o município presenteia os voluntários com um passeio convívio que teve de ser adiado devido às contingências decorrentes da pandemia.  Assim, para assinalar a data foi oferecido a todos um pequeno livro de anotações e o vereador da Ação Social, Nélson Oliveira, entregou a oferta, simbolicamente, ao Voluntário menos jovem do Banco do Voluntariado de Lousada, Sr. Salvador.Obrigado a todos!”, lê-se na publicação.

Também o município  de Paredes escolheu esta data para realçar o trabalho dos voluntários do Banco Local do Voluntariado. Numa curta mensagem, o município paredense aproveitou para felicitar os voluntários que integram o banco e que com o seu tempo, dedicação e alegria ajudam outras pessoas a serem mais felizes. 

Na mesma publicação, a autarquia recorda que o Banco Local de Voluntariado foi criado  com o objetivo de “promover a prática de voluntariado no concelho”, funcionando como uma “estrutura facilitadora do voluntariado” e “um espaço de encontro entre pessoas que querem ser voluntárias e instituições promotoras, interessadas em integrar voluntários e coordenar o exercício da sua atividade”.

Fotografia: Câmara de Paredes

“Como prática e valor, o voluntariado tem por base uma cultura de cidadania ativa e solidária e é, nesta perspetiva, um contributo inestimável para o desenvolvimento social”, refere o município que esclarece que o Banco Local  tem como objetivos gerais “impulsionar a prática do voluntariado no concelho;  facilitar o encontro entre a oferta e procura de voluntariado; divulgar projetos e oportunidades de voluntariado e apoiar a missão voluntária, formando voluntários e agentes institucionais no âmbito desta temática”.

Como objetivos específicos, compete ao Banco Local de Voluntariado de Paredes “receber inscrições dos candidatos a voluntários; receber solicitações de voluntários por parte das Instituições promotoras de voluntariado;  encaminhar os voluntários para as Instituições promotoras desta prática;  acompanhar a inserção dos voluntários nas respetivas Instituições e disponibilizar informação sobre voluntariado”.

Falando dos requisitos do voluntário, a publicação esclarece que “o voluntário é o indivíduo que de forma livre, desinteressada e responsável se compromete, de acordo com os seus interesses e tempo livre, a realizar ações de voluntariado no âmbito de uma Instituição promotora, pelo que, poderão candidatar-se a voluntários todos aqueles que, independentemente da idade, sexo ou convicções, pretendam participar em Projetos de interesse social e comunitário”.

Os membros do Banco do Voluntariado de Paredes beneficiam de um cartão do voluntário que foi criado pelo Banco Local de Voluntariado de Paredes.

Este cartão tem como propósitos “proporcionar aos voluntários do Banco a possibilidade de obterem alguns benefícios, como forma de reconhecimento pelo trabalho comunitário que desenvolvem. Podem beneficiar do referido cartão os voluntários ativos do Banco Local de Voluntariado”, alude a câmara municipal que acrescenta que o cartão do voluntário é “pessoal e intransmissível, sendo que  emissão, suspensão e renovação do cartão do voluntário é da responsabilidade do Banco Local de Voluntariado”.

“A cessação do trabalho voluntário antes do período acordado com a Entidade Promotora de Voluntariado determina a suspensão do cartão do voluntário e a obrigatoriedade da sua devolução à respetiva organização. O cartão do voluntário tem a validade de 1 ano a contar da data de início do trabalho voluntariado”, lê-se na respetiva publicação.

O portador do Cartão do Voluntário conta “com o apoio de várias lojas do concelho, as quais se associaram a esta causa, atribuindo descontos nas compras efetuadas nas lojas. Para tal, basta apresentar o cartão numa das lojas aderentes, para beneficiar de um desconto imediato, a saber”.

Na sua publicação, a Câmara de Paredes avança, ainda, que “podem ser organizações promotoras de voluntariado todas as entidades públicas ou privadas, legalmente constituídas, que reúnam condições para integrar voluntários e coordenar o exercício da sua atividade, no âmbito de Projetos e Programas de Voluntariado concretos”.

Neste contexto, o município assegura que podem enquadrar o Banco Local de Voluntariado várias instituições, nomeadamente “juntas de freguesia, escolas, serviços de saúde, instituições particulares de solidariedade social (IPSS’s), associações, entre outras”.

O concelho de Gondomar aproveitou, igualmente, a data para enfatizar o trabalho desenvolvido pelo Banco Local de Voluntariado, recuperando uma citação de Elza Chambel, presidente do CNPV, que diz que “ser voluntário é empenhar-se na humanização da vida, é ter uma atitude de cidadania ativa, complementar à ação do Estado, e, assim, contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade menos individualista e mais baseada sobre novas solidariedades.”

Falando do Banco Local de Voluntariado de Gondomar, a autarquia esclarece que esta estrutura permite, “de forma flexível e descentralizada, facilitar o voluntariado, instituindo-se como um local de encontro entre pessoas que expressam a sua disponibilidade e vontade para serem voluntárias e entidades que reúnam condições para integrar voluntários e coordenar o exercício da sua atividade”.

Já o município de Lamego realizou, esta sexta-feira, integrado no Dia Internacional do Voluntariado, um debate com diversas instituições do concelho, tendo como tema as estratégias adotadas recentemente pela prática do voluntariado no combate e adaptação à atual pandemia.

O evento foi promovido pelo projeto CLDS 4G – “Lamego Com_Tigo”, em parceria com o município de Lamego, de modo a assinalar o Dia Internacional do Voluntariado.

A ação de sensibilização “Lamego Voluntária em tempos COVID19” decorreu no auditório da Obra Kolping de Portugal e foi acompanhada através das plataformas digitais do projeto “Lamego Com_Tigo”: www.lamegocom-tigo.pt e redes sociais. 


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!