Novum Canal

mobile

tablet

Lousada: Sétima edição do Orçamento Participativo Jovem com 16 propostas a votação

Partilhar por:

Fotografia: Câmara de Lousada

Encontram-se a votação até 31 de dezembro, as 16 propostas que integram a sétimo Orçamento Participativo Jovem (OPJ), uma iniciativa da Câmara de Lousada.

As propostas a votação incidem sobre áreas diversas e vão desde o ambiente, a cultura, mobilidade, educação, entre outras áreas, tendo a edição deste ano como mote  “Tu escolhes o futuro de Lousada”.

“Ginásio ao Ar Livre”, de Maria de Fátima Alves da Cunha, é uma das propostas apresentadas, que pretende funcionar como um ginásio ao ar livre no Parque Urbano Dr. Mário Fonseca, sendo “um parque de treino de rua (street workout), ou seja, um parque de treino de calistenia”.

Iolanda Pinheiro propõe a criação de um “Plano Municipal de Esterilização para animais de companhia e abandonados”. Com o aumento dos animais abandonados, aumentam também as doenças entre eles, que podem ser transmissíveis para os humanos, e a formação de grupos de animais que colocam em risco a segurança pública e o bem-estar da população.

A Rute Nogueira e a Joana dos Santos apresentam o “Be Authentic”, direcionado para “jovens-adolescentes. A proposta tem como objetivos promover e/ou melhorar as competências físicas, psicológicas e sociais, através de experiências novas e diferenciadas”.

“Sem Limites” é a designação da proposta apresentada por Carlos Guilherme da Costa Magalhães e que tem como motivação “ajudar a população de Lousada a ter mais informação sobre os transportes públicos”, nomeadamente a localização das paragens de autocarros e horários dos mesmos.

Na área da comunicação, destaque para a proposta “Rádio em Lousada”, tendo como autora Beatriz Ribeiro Leite, que esclarece o facto de este projeto ser para todos “com informação diária, debates, entrevistas e reportagens”, ou outros géneros.

“Let’s talk about the climate emergency” é a designação do projeto apresentado por José Paulo Santos Ferreira, que pretende, no seguimento do que tem sido realizado no concelho a nível ambiental, realizar um congresso científico com a mesma designação, de modo a permitir “uma capacitação enorme da Juventude Lousadense em competências transversais como trabalho de equipa, comunicação, liderança e gestão de pessoas”.

A criação e homologação do percurso pedestre “Trilho Zé do Telhado” é o projeto apresentado por Luís Peixoto, Ruben Leite, João Pinto e Ana Peixoto. A ideia passa por dinamizar “um percurso pedestre localizado na freguesia de Caíde de Rei, cujo objetivo é dar a conhecer a paisagem, o património e a memória histórico-cultural, com principal incidência na personagem do Zé do Telhado, que viveu e casou na freguesia e tendo sido assinalados, recentemente, os 100 anos do seu nascimento”.

Mariana Carvalheiras, Mariana Almeida e Rosa Catarina Pinto apresentam uma proposta relativa a um “Anfiteatro ao ar livre”, que passa por adaptar o espaço verde existente atrás do edifício onde funciona a GNR de Lousada “para a construção de um anfiteatro natural, onde possam decorrer eventos culturais e lúdicos, nomeadamente teatro, concertos acústicos, dança, entre outros”.

“Lousada a mover-se!” é a proposta de Andreia Ribeiro, que pretende “contribuir para a diminuição das desigualdades a melhoria da qualidade de vida da população com mobilidade reduzida” eliminado barreiras físicas e adequar espaços.

“Contra-Vento” é a designação do projeto de Cláudio José Pereira Pinto, que “nasce da ideia voluntária de um espaço multidisciplinar e experimental, onde se cruzam as artes performativas – o teatro, a dança, a música, a performance, artes circenses, teatro de fantoches, entre outros”.

“Academia 100 Barreiras”, José Leal, João Cunha, Ana Ribeiro, Maria Pereira e Ricardo Ferreira tem como base “o direito português e é constituído com o objetivo de responder às necessidades da população jovem de Lousada com deficiência, bem como proceder à implantação de mais modalidades adaptadas no concelho”.

Ana Ferreira apresenta o projeto “Feira do Ensino”, que pretende facilitar as tomadas de decisões relativas ao futuro académico dos jovens. Assim, a iniciativa é realizada em “dias específicos para as diversas vertentes do ensino, desde o 3º ciclo básico ao 3º ciclo do ensino superior, ou seja, incluiria mostras de Cursos Científico- Humanísticos e vias profissionalizantes, Licenciaturas e Mestrados do Ensino Superior”.

A criação de um “Espaço de Estudo Lustosa” é a proposta de José Ferreira, que propõe “a recuperação de um espaço público a definir sendo este transformado numa sala de estudo com secretárias e cadeiras confortáveis, climatização e isolamento sonoro para dar aos jovens lousadenses a oportunidade de se cultivarem academicamente e usufruírem de espaços no seu concelho”.

O projeto “Vamos superar”, apresentado por Carlos Cunha é pensado para prestar apoio o município, o tecido empresarial e principalmente para as pessoas de Lousada no próximo ano de 2021. Este projeto tem por base “ajudar a economia do concelho apoiando as empresas e os postos de trabalho enquanto oferece descontos aos Lousadenses”.

Fotografia: Câmara de Lousada

Ana Filipa Ferreira apresenta a proposta designada “Todos iguais na diferença”, que tem como finalidade principal “assegurar igualdade de oportunidades para todas as crianças e jovens em idade escolar no que diz respeito ao acesso aos meios informáticos, enquanto forem necessários para o desenvolvimento das atividades escolares, com a criação de uma bolsa de computadores e assegurar informação e formação a toda a comunidade local sobre temas inclusivos e estruturantes para a construção da nossa identidade como cidadãos globais.

“Incluir” é o projeto apresentado por Gonçalo Marques, que pretende assegurar o desenvolvimento de competências na área da comunicação inclusiva e assegurar o desenvolvimento de uma sociedade que se quer justa e, por isso, obrigatoriamente mais solidária.

Segundo a autarquia lousadense, o OPJ pretende reunir opiniões e contributos importantes junto da juventude Lousadense, de forma a inscreveras suas ideias e projetos no Orçamento Municipal e nas Grandes Opções do Plano.

“Esta medida apela à participação cívica dos jovens, promovendo um elevado sentido de cidadania e comunidade, onde seja aprofundado o diálogo e concertação de propostas juntamente com o executivo municipal, na definição de prioridades de investimento autárquico”, lê-se no comunicado que nos foi enviado que esclarece que para que as candidaturas sejam aprovadas existe um conjunto de pressupostos que devem ser cumpridos, nomeadamente serem apresentadas por indivíduos com idades compreendidas entre os 14 e os 30 anos e o valor máximo do projeto não ultrapassar os 30 mil euros, valor inscrito no Orçamento Municipal de 2021.

A votação decorre entre os dias 30 de novembro e 31 de dezembro através do site do Município (http://opj.cm-lousada.pt) ou presencialmente. Para votar presencialmente, deverá fazer-se acompanhar do cartão de cidadão e dirigir-se ao edifício Paços do Concelho. Relembramos que as votações, independentemente da idade, estão limitadas aos residentes em Lousada.

A apresentação do projeto vencedor está agendada para o dia 6 de janeiro de 2021, data de aniversário do Espaço AJE (Artes, Juventude e Europa), de forma online.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!