Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Equipa de hóquei em patins USC Paredes perde com Feira nos segundos finais

A formação do USC Paredes – Maximus 17, Hóquei  em Patins, perdeu  com o CA Feira,  (5-6) em jogo a contar para a jornada oito da Segunda Divisão, Zona Norte.

Numa primeira parte equilibrada, a formação da casa dispôs de três bolas nos ferros, por Néné, Gonçalo Figueiredo e André Ferreira.

Ainda na primeira metade do jogo, aos 06:39, Márcio Fonseca dispôs de uma oportunidade soberana, através de um livre direto, não concretizado. O mesmo atleta, a um 1:12 do final dos primeiros 25 minutos, acabou por se redimir e abriu o marcador.

A abrir  a segunda metade, aos 23:02, André Ferreira fez o segundo golo para a formação orientada por Diogo Pereira.

Aos 19:27, a formação visitante reduziu para 2-1, por intermédio de Bruno Fernandes, aos 18:27, Telmo  Ramos empatou o encontro e aos 14:58 o autor do primeiro para o Feira consumou a reviravolta  no marcador, marcando o terceiro  para a formação orientada por Miguel Resende.

A correr atrás do prejuízo, aos 10:37, a formação do Paredes empatou por Eduardo Cardoso (3-3), mas aos 09:46 Bruno Moreira de livre direto colocou o Feira novamente na frente do marcador (3-4).

Num jogo pautado pelo equilíbrio, o Paredes, por Eduardo  Cardoso, restabeleceu a igualdade (4-4),  aos 08:23.

Aos 06:23,  a formação de Santa Maia da Feira, dispôs  de uma soberana oportunidade para passar novamente para a frente do marcador, mas Bruno Moreira não conseguiu concretizar em golo o livre direto  que a sua equipa dispôs.

Aos 03:42, a formação de Diogo Pereira volta a adiantar-se na partida, fazendo o 5-4, por intermédio de Eduardo Cardoso, com Bruno Moreira, do Feira, a empatar poucos segundos depois, aos 03:33.

Quando faltavam 38 segundos para o final do encontro, o Feira, novamente por Bruno Moreira, na sequência de um penálti, que suscitou muitas dúvidas, fez o 5-6 e garantiu os três pontos à formação visitante.

Ao Novum Canal, o técnico do União Sport Clube de Paredes, Hóquei em Patins, realçou a entrega e a atitude da sua equipa, que vinha de uma derrota com o Infante Sagres, que chegou ao intervalo a vencer e apesar da mais-valia do adversário, dispôs de várias oportunidades para dilatar o resultado.

Na análise  ao jogo, Diogo Pereira, mais uma vez, foi cáustico em relação à arbitragem, salientando que ao assinalar um penálti, na reta final do jogo a favor do Feira, quando o resultado era de 5-5, tal facto acabou por penalizar a sua equipa.

O técnico da formação paredense assumiu mesmo que não há qualquer penálti e que mais uma vez a sua equipa acabou por ser penalizada por uma dupla de arbitragem experiente.

“Trabalhamos toda a semana e quando surgem situações como esta custa-nos imenso. É frustrante perder desta forma e não há estratégia que aguente com decisões destas”, disse,  salientando que antes do penálti, Márcio Fonseca  tinha sido admoestado já com um cartão azul.

Eduardo Gil, atleta do Paredes, que fez três golos, destacou que o resultado final acaba por penalizar a sua equipa, que apesar das inúmeras oportunidades que dispôs, esteve por cima do encontro e não merecia de todo perder o encontro.

O atleta do Paredes manifestou mesmo que a sua equipa fez um jogo conseguido, chegou ao intervalo a vencer, logo no arranque da segunda metade fez o segundo golo, cometeu depois alguns erros, conseguiu corrigir e poderia inclusive ter resolvido o encontro mais cedo.

Ao Novum Canal , Eduardo Gil concordou com a análise do técnico do Paredes ao afirmar que este encontro acaba por ficar marcado pelo penálti marcado contra a sua equipa, já nos instantes finais, o que hipotecou todas as possibilidades do Paredes poder chegar eventualmente ao empate.

Apesar da derrota de hoje, Eduardo Gil enalteceu a entrega da equipa e afiançou que o conjunto continua motivado, vai continuar a trabalhar para já no próximo encontro conseguir voltar às vitórias.

Miguel Resende, treinador do CA Feira, na análise ao jogo , declarou que esta foi uma partida difícil, um jogo atípico, com muitos golos, coisa a que a sua equipa não está habituada.

“Terminados os primeiros 25 minutos a perder, a segunda parte iniciou praticamente com o golo do Paredes e depois a minha equipa teve de andar atrás do prejuízo, conseguimos  a espaços ficar na frente do marcador, o Paredes voltou a equilibrar, mas na reta final fizemos o golo que nos permitiu amealhar três pontos”, expressou, sustentando que os objetivos do Feira passam pela manutenção.

Bruno Moreira, um dos homens do CA da Feira que esteve em destaque neste encontro, concordou que o jogo foi equilibrado, com as duas equipas a proporcionaram um bom jogo de hóquei, com oportunidades divididas, tendo o jogo na reta final caído para a sua equipa.

O atleta da formação de Santa Maria da Feira reconheceu que o resultado mais justo teria sido o empate.

Quanto à marcação do penálti na reta final, o atleta admitiu que estes lances nem sempre são fáceis de ajuizar, com os árbitros a terem de assumir uma decisão numa fração de segundos.