Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Câmara de Lousada adquire 3,6 hectares da Quinta de Vila Pouca que será a sede da Paisagem Protegida do Sousa Superior

Fotografia: Câmara de Lousada

A Câmara Municipal de Lousada adquiriu recentemente os 3,6 hectares da Quinta de Vila Pouca (Meinedo). Este espaço será a sede da Paisagem Protegida do Sousa Superior, projeto que propõe a classificação de uma área correspondente a 20% do território, considerado de especial valor cultural e ambiental.

Ao Novum Canal, o vereador do  Ambiente, Manuel Nunes, realçou que a escolha da Quinta de Vila Pouca (Meinedo) para sede do projeto tema ver com a ligação histórica deste espaço ao território e ao país.

O vereador explicou que é objetivo do executivo municipal permitir que casa/solar da Vila Pouca de Aguiar que integra o espaço da Quinta  “possa acolher diversas  valências, desde a parte expositiva – património natural, arquitetónico, histórico e seja também um espaço de a valorização da figura de Duarte Leite, antigo primeiro ministro de Portugal e embaixador no Brasil, cujas memórias e ligação à freguesia e ao concelho permanecem na memória de muitos habitantes da freguesia”.

“É intenção do município que a Quinta de Vila Pouca, cuja história se encontra intimamente ligada ao território e ao país, pela ligação a Duarte Leite, antigo primeiro ministro de Portugal e embaixador no Brasil, se torne a sede da Paisagem Protegida e, por essa via, um espaço multifuncional de receção e encaminhamento dos visitante. Para além disso, pretende-se que o solar possa acolher diversas  valências, desde a parte expositiva – património natural, arquitetónico, histórico, com natural destaque para a figura de Duarte Leite – à componente de fruição e de experimentação, com espaços exteriores dedicados à interpretação do património natural da Paisagem Protegida”, disse, salientando que o custo da aquisição dos terrenos rondou os 200 mil euros.

O autarca realçou que este é um espaço emblemático em termos ambientais e que irá acrescentar valor ao projeto.

“Certamente que sim. Não basta criar uma área protegida, é necessário dotá-la das infraestruturas e dos equipamentos de visitação e interpretação adequados para que o visitante compreenda o território que está a percorrer. Nesse aspeto, pela envolvente paisagística e pela dimensão e valia histórica do património edificado  ali presente, Vila Pouca constituirá, como acontece já com a mata de Vilar ou com os Moinhos de Pias, um espaço ímpar na estratégia de sustentabilidade desenhada para o rio Sousa e para a Área de Paisagem Protegida Local do Sousa Superior, que cobre mais de 1600 hectares de área”, explicou. 

Fotografia: Câmara de Lousada

Fazendo um ponto da situação do projeto Paisagem Protegida do Sousa Superior, o responsável pelo pelouro do ambiente da Câmara de Lousada destacou que “a Paisagem Protegida Local do Sousa Superior encontra-se classificada, por aprovação formal da assembleia Municipal de Lousada de 18 de setembro de 2020, encontrando-se em discussão publica o Regulamento da Paisagem Protegida e em preparação o Plano de Gestão”. 

“A intenção é, agora, concluídas as formalidades, avançar para a inclusão desta área protegida na Rede Nacional de Áreas Protegidas. Trata-se da primeira área protegida da região e juntamente com a criação da rede municipal de microrreservas permitirá a conservação de cerca de 20% do território concelhio, destinando-o à promoção de ações de restauro ecológico e valorização do património natural”, defendeu.