Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa avisa para pressão desmesurada sobre profissionais e serviços de saúde

O presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar do Tâmega e Sousa (CHTS), Carlos Alberto, lançou, há instantes, um apelo à população da área de influência da unidade hospitalar para que não continue a sobrecarregar os seus serviços e os seus profissionais.

O responsável do centro hospitalar recordou que nunca tinha acontecido, desde o início da pandemia, que um só hospital tivesse concentrados 10% de todos os doentes internados por Covid-19 do país.   

“O CHTS tem estado nestas últimas semanas sobre uma pressão tremenda, com uma injusta sobrecarga de trabalho dos seus profissionais, devido à elevadíssima concentração de casos positivos nesta região. Aliás, nunca tinha acontecido, desde o início da pandemia, que um só hospital tivesse concentrados 10% de todos os doentes internados por COVID-19 do país. É o que está atualmente a acontecer no CHTS”, referiu.

Carlos Alberto reiterou que a região, nas últimas semanas, tem registado valores “muito  preocupantes” de infeções por Covid-19.

“É de todos bem conhecido o crescente desenvolvimento de infeções por COVID-19 no mundo, em Portugal e muito em particular na nossa região. Os números do crescimento de infeções das últimas semanas atingem valores muito preocupantes e devem merecer uma atenção redobrada de todos para que se consiga manter alguma vida social e económica sem necessidade de um novo confinamento que ninguém deseja”, disse, salientando que “os efeitos do confinamento anterior ainda estão bem presentes para percebermos o que está em causa, sendo que um segundo confinamento seria certamente bem mais gravoso que o anterior”.

O presidente do Conselho de Administração do CHTS advertiu, também, para a necessidade da população cumprir  com as regras e diretrizes definidas pelas autoridades de saúde.

“Para que alguns comportamentos irresponsáveis não sejam fator de pressão desmesurada sobre os diferentes serviços de saúde, apela-se ao esforço de todos para cumprir as recomendações já sobejamente divulgadas: uso da máscara, lavagem das mãos, ter em atenção a etiqueta respiratória e o distanciamento social.  Apesar das dificuldades provocadas por uma situação desta dimensão, ainda que preferíssemos que não precisassem de acorrer ao hospital, continuaremos a trabalhar para os nossos utentes. Com a ajuda de todos, ultrapassaremos as dificuldades. Bem hajam”, acrescentou.