Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Qualificação, aposta na inovação e promoção da marca Capital do Móvel são apostas da nova direção da Associação Empresarial de Paços de Ferreira

O novo presidente da Associação  Empresarial de Paços de Ferreira, Samuel Santiago, avançou, esta quinta-feira,  na tomada de posse dos órgãos sociais para o biénio 2020-2022, que a aposta na inovação, na formação na qualificação das pessoas da região, assim como na marca da Capital do Móvel são algumas das prioridades que vão nortear a sua gestão.

Falando  os objetivos e dos desafios que a sua direção tem pela frente, o presidente da direção confirmou estar consciente dos desafios que irá assumir, evidenciando estar disponível com a sua equipa para fazer face a todas as solicitações que a associação e os empresários estão atualmente confrontados.

O responsável pela direção da Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF) deixou um palavra de apreço e estima para com os empresários do setor do concelho, que apesar da situação de crise económica e sanitária que  tem afetado a região e o país,  têm conseguido fazer face às adversidades e dificuldades que têm surgido.

Estamos conscientes que o desafio que hoje assumimos é audaz, mas demonstrámos a nossa total disponibilidade e dedicação para ajudar os empresários a ultrapassar essas dificuldades. Uma palavra especial  aos nossos empresários que vivem momentos adversos, mas estamos certos que juntos conseguiremos ultrapassar as adversidades. Na Associação Empresarial não digo que estamos de portas abertas para os receber, pois essa é já uma forma de estar da associação, digo, sim, estamos e vamos estar presentes nas empresas, vamos contribuir ativamente para o sucessos das mesmas”, avançou, sustentando que a Associação Empresarial de Paços de Ferreira está disponível para em articulação com as instituições governamentais e não governamentais do concelho e da região articular esforços no sentido de colaborar no desenvolvimento socioeconómico de Paços de Ferreira.

O responsável pela AEPF avançou, também, que a nível interno o foco da direção passa pela aprendizagem dos seus colaboradores , na promoção integrado das empresas e qualificação do capital humano, sem descurar o esforço do espírito associativo, a inovação e a melhoria contínua na qualidade de fabrico e capacidade de processos.

Às pessoas que fazem desta casa o seu local de trabalho diário, um compromisso fica assim firmado de uma organização exigente e humanizada com foco na inovação e aprendizagem. A missão da Associação Empresarial de Paços de Ferreira passa pelo desenvolvimento e promoção integrado das empresas e qualificação do capital humano, sem descurar o esforço do espírito associativo, a inovação e a melhoria contínua“, frisou, apontando a necessidade da associação continuar promover a marca Capital do Móvel, apostar no que melhor se produz na região a nível nacional e internacional, na qualificação do capital humano, na criação de produtos e serviços de valor acrescentado.

O dirigente da AEPF defendeu, também, a dinamização de redes de contactos quer através de missões ou presenças nos mercados, quer através dos meios digitais, que incentive a inovação tecnológica, assim  como reconheça as boas práticas de sustentabilidade.

Samuel Santiago enalteceu o trabalho da anterior direção, chefiada por Rui Carneiro, e assumiu ser um orgulho presidir aos destinos da instituição.

Referindo-se ao anterior presidente da AEPF, o presidente da associação empresarial relevou o  espírito de resiliência do ex-presidente, o trabalho realizado em diferentes domínios que permitiram afirmar a instituição e o tecido empresarial de Paços de Ferreira.

Deixa assim um legado de alta qualidade no trabalho desenvolvido, de proximidade para com todos e de eficácia nas decisões tomadas”, disse.

Samuel Santiago enalteceu, igualmente,  o papel da Câmara de Paços de Ferreira e do seu presidente, Humberto Brito, no apoio e na articulação que tem mantido com a associação empresarial, contribuindo para a afirmação da marca Capital do Móvel e para a dinamização do tecido empresarial no concelho.

“A presença do presidente da Câmara de Paços de Ferreira, Humberto Brito, nesta cerimónia, é um sinal claro que ambos partilhamos a convicção sobre a importância decisiva do poder local no desenvolvimento da nossa região. Estou certo que o futuro será pautado por uma relação de confiança entre ambas as instituições de forma a que possamos cumprir com os objetivos a que nos propomos. Não basta fazer igual. Temos de fazer mais e fazer melhor. Estamos cientes da nossa responsabilidade e que não estaremos sós. Todos serão chamados a contribuir para este desígnio. Todos terão um lugar e uma responsabilidade fundamental na Associação Empresarial de Paços de Ferreira que pretende ser cada vez mais forte e estar presente no dia-a-dia dos seus associados. Deixo uma palavra de ânimo a todos os empresários que uma vez mais são colocados à prova, demonstrando toda a sua resiliência e capacidade de sofrimento. Este é o início de mais uma batalha e estou certo que a ganharemos porque o nosso tecido empresarial jamais sucumbiu às vicissitudes”, acrescentou.

O presidente cessante da Associação Empresarial de Paços de Ferreira, Rui Carneiro, na sua intervenção, assumiu que o fim da sua ligação à instituição representa o fim de um ciclo do qual muito se orgulha.

“Os caminhos percorridos, agrestes, muitas vezes, é certo, mas que foram transformando esta associação no que é hoje, dinâmica, inovadora, arrojada, moderna e com um capital humano qualificado de elevado valor. Foram 11 anos no comando da Associação Empresarial de Paços de Ferreira quatro como vice-presidente e sete como presidente, mas sempre norteado pela missão da instituição de participar e promover o desenvolvimento socioeconómico de toda a região. Acho que não defraudei o lema e a bandeira desta instituição reconhecida no panorama nacional e até fora portas”, avançou, confirmando que a Associação Empresarial de Paços de Ferreira tem conseguido afirmar a sua capacidade de integração no desenvolvimento sustentado económico e tem conseguido dinamizar  o movimento associativo reforçando a sua representatividade e garantindo uma oferta de serviços de excelência sempre adaptados às necessidades das empresas.

Rui Carneiro reconheceu, ainda, que a instituição conseguiu desenvolver atividade de interação entre as diferentes atores económicos de forma a impulsionar a atividade económico empresarial.

“Nunca me desviei dos valores da competência, do profissionalismo, da ética e da transparência. A instituição sempre teve consciência que a realidade envolvente tinha evoluído, que estava sempre em constante mutação e que as expectativas dos empresários  relativamente à associação empresarial também se tinham modificado. De forma abrangente e transversal tentei abranger todos os setores de atividade existente no concelho”, afiançou, acrescentando:

“Deixo para trás um departamento de apoio às empresas muito ativo que mantém a sua veia de suporte ao tecido empresarial da região. Um departamento de formação profissional altamente qualificado responsável pela gestão e acompanhamento de inúmeros cursos de formação profissional. Um departamento de feiras e eventos dinâmico e inovador que organiza eventos de grande projeção nacional e internacional”.

“O mundo e a economia  estagnaram, mas nós ousamos desafiar o vírus. Os nossos empresários mesmo em condições adversas conseguiram alcançar um resultado surpreendente”

O presidente cessante, na sua alocução, referiu-se, ainda, à importância da Feira Capital do Móvel no contexto dos eventos realizados pelo departamento de Feiras e Eventos da associação, assumindo uma importância crucial para a afirmação do mobiliário no concelho.

“Todos sabemos que o ex-líbris é a Feira Capital do Móvel. Espelha bem três pilares: inovação, design e qualidade. Este potencial e esta projeção só foram alcançadas com a preciosa colaboração de uma equipa coesa e empenhada que me apoiou fortemente imbuída de um espírito de entrega à causa, sabendo desafiar e ultrapassar momentos menos positivos que nos obrigaram a refletir  e a repensar toda a ação de forma a responder às necessidades. Imaginação foi algo que não nos faltou, tendo em conta que ao longo desta jornada atravessamos uma grave crise financeira e uma pandemia sem precedentes que se abateu sobre o mundo há quase um ano e nos obrigou a ser mais criativos. O mundo e a economia  estagnaram, mas nós ousamos desafiar o vírus. Os nossos empresários mesmo em condições adversas conseguiram alcançar um resultado surpreendente”, precisou.

Rui Carneiro agradeceu à direção que o acompanhou ao longo destes anos e com ele ousou operar mudanças e fazer diferente.

“Cada um me ajudou nesta empreitada, contribuindo que a instituição se tornasse na instituição respeitada que é hoje. Deixo um agradecimento especial ao Aprígio Costa, presidente da assembleia-geral, assim como os restantes elementos. Deixo uma palavra de apreço ao presidente do Conselho Fiscal, a todos os colaboradores. Sou daqueles que ainda acha que se deve vestir a camisola para garantir maiores níveis de motivação e maior sucesso e o sucesso desta organização depende em grande partes deles. Agradeço aos empresários e aos associados que ajudaram a Associação Empresarial de Paços de Ferreira a evoluir de forma gradual e sustentada e pela boa relação criada e mantida aos longo destes anos. A todas as entidades com as quais mantivemos parcerias, à Câmara de Paços de Ferreira, um agradecimento especial, pela relação mantida ao longo destes anos, trabalhando e criando sinergias para atingir objetivos convergentes como elevar o nome da instituição de forma a obter maior reconhecimento e projeção a nível regional, nacional e internacional. Aqui importa destacar e deixar um agradecimento ao Humberto Brito pela abertura e empenho que sempre demonstrou para com a associação empresarial, pela presença e acompanhamento dado à instituição. Sempre reconheceu valor e o peso que esta instituição tem para o concelho e de forma leal, atenta e preocupada procurou estreitar uma forte colaboração pautadas por relações cordiais e de muito respeito”, afirmou, lembrando que sempre serviu a associação e desempenhou a sua missão com espírito do dever e deu o máximo, quer a nível profissional, quer a nível pessoal da projeção da instituição e dos seus associados.

“À nova direção deixo votos de coragem e determinação na superação destes desafios inegáveis.  A ti, Samuel dou-te os parabéns pela coragem em assumires a liderança da associação. Não tenho dúvidas que és a pessoa certa para com rigor e com ambição traçares os caminhos de sucesso para a associação  empresarial. Hoje encerro um ciclo com a certeza e a tranquilidade  que a associação se tornou numa instituição de referência do associativismo, mais forte, mais credível, mas promissora e mais interventiva”, confessou.

O presidente da Câmara de Paços de Ferreira, Humberto Brito, enalteceu, também, o trabalho de Rui Carneiro, os contributos  que deu para a afirmação da instituição, dos empresários e do universo empresarial do concelho.

“Tive o privilégio de ao longo destes últimos sete anos trabalhar com uma pessoa extraordinária do ponto de vista humano que é o Rui Carneiro, uma pessoa de qualidades pessoais, do espírito de entrega, de sofrimento que teve nos últimos quatro anos. Sou testemunha da sua entrega, do seu empenho e da forma como soube conduzir esta instituição não só pelas dificuldades internas que existiam, mas também pelo clima económico que vivíamos desde 2013. Muitos se lembrarão que o concelho atingia as maiores taxas de desemprego. Em 2013 tínhamos registado a maior taxa de desemprego no concelho com quase seis mil desempregados.  E por força dos números conseguimos obter um resultado histórico. Em fevereiro deste ano, antes de entrarmos nesta pandemia, tínhamos 1700 pessoas inscritas no Centro de Emprego. De facto  uma recuperação extraordinária”, assumiu.

“O Samuel é uma pessoa que gosta de pensar no concelho, nas empresas, tem uma estratégia para a associação e para o universo empresarial de Paços de Ferreira”

Falando no novo presidente da direção da Associação Empresarial de Paços de Ferreira, o  chefe do executivo referiu-se a Samuel Santiago como sendo uma pessoa que conhece bem o setor, que conhece os empresários, o tecido empresarial local e tem uma estratégia para o mobiliário.

“Queria dizer ao atual presidente da associação empresarial que pode contar com o apoio da câmara municipal. Tive a felicidade de trabalhar com ele através da Moveltex e ao longo destes últimos sete anos pude usufruir dos contributos no novo presidente através da Moveltex. O Samuel é uma pessoa que gosta de pensar no concelho, nas empresas, tem uma estratégia para a associação e para o universo empresarial de Paços de Ferreira”, avançou.  

O autarca pacense recordou que a região e o país vivem tempos invulgares, mas o espírito de resiliência e determinação já evidenciada pelos empresários do concelho noutras ocasiões vai ser novamente determinante para vencer a atual crise económica que o país está a viver.

“ Vivemos tempos invulgares, a pandemia faz-nos repensar todas as formas de atuação, seja na gestão pública municipal, seja na gestão das empresas, no mundo empresarial para responder ao desafios que nos são colocados diariamente. O espírito de resiliência, de esforço, de determinação, de vencer os desafios e ultrapassar as dificuldades estão bem presentes nos empresários destes concelho. Foi assim com a última crise económica que vivemos, quando de facto o desemprego atingia níveis recorde. Tenho a certeza que com o espírito que existe neste concelho vamos ultrapassar este desafio que temos pela frente, vencer esta pandemia, mantermo-nos unidos em prol daquilo que é mais relevante, que é garantir o bem-estar das pessoas, ajudar as empresar a trabalhar, a vender, a criarem riqueza e emprego. O sucesso da associação empresarial será o sucesso deste concelho”, precisou.