Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Paredes sobe à segunda divisão com vitória por 3-0 e aproveita derrota do Fânzeres na Póvoa por 4-3

O União Sport Clube de Paredes,  Hóquei em Patins, garantiu, este sábado, a subida à Segunda Divisão Nacional de Hóquei em Patins ao derrotar o Clube Académico da Feira, de Santa Maria da Feira, (por 0-3).

A formação orientada por Diogo Pereira além da vitória fora de portas  beneficiou da derrota do Fânzeres frente ao Póvoa por 4-3.

Ao Novum Canal, o treinador do União Sport Clube de Paredes, Hóquei em Patins, realçou que este foi um encontro  difícil, tal como se previa, frente a uma equipa que já tinha garantido também a subida.

O técnico unionista reconheceu que o Paredes fez um jogo conseguido e garantiu com justiça os três pontos e a almejada subida à segunda divisão.

“A equipa fez um jogo consistente, esteve bem defensivamente e pelo trajeto que fez quer na fase pré-preliminar, quer na fase preliminar mereceu com toda a justiça subir de divisão”, expressou, sustentando que a subida  é o culminar de todo um trajeto, faz jus ao trabalho dos atletas, equipa técnica, secção de hóquei em patins, mas também da estrutura diretiva.

Questionado sobre quais são os objetivos do União Sport Clube de Paredes, Hóquei em Patins, para a próxima época, Diogo Pereira realçou que este é o momento  para os unionistas celebrarem e e depois, sim, definirem estratégias e objetivos a pensar naquilo que será a segunda divisão.

João Patrício, atleta o União Sport Clube de Paredes, relevou a forma como a equipa jogou hoje, frente a um adversário difícil que tinha já confirmado a subida.  

João Patrício concordou que o Paredes foi melhor na fase da pré-leguilha e fez também uma leguilha conseguida pelo que a subida é um prémio  mais do que merecido, que dignifica o trabalho realizado também no campeonato.

O atleta relevou, também, a entrega dos colegas que mesmo nos momentos mais difíceis, nomeadamente frente ao Póvoa e ao Fânzeres, em que a equipa perdeu nos instantes finais, não deixou de lutar e acreditar de que era possível atingir o objetivo da subida, tendo destacado ainda o apoio da secção, da equipa técnica e demais estrutura do clube.

 Sobre os objetivos da equipa para a segunda divisão, João Patrício esclareceu que a equipa terá tempo para conhecer os adversários, numa divisão que conta com excelentes equipas e que é assumidamente competitiva.

Miguel Resende, técnico do Clube Académico da Feira, admitiu que o facto da sua equipa ter já conseguido a subida e de ter aproveitado para colocar na pista alguns atletas que não tinham minutos poderá ter feito com que o Feira pudesse ter encarado a partida de forma mais descontraída.

“Os 3-0 é um resultado enganador. Apesar da vitória do Paredes, julgo que foi uma partida equilibrada. Tivemos várias oportunidades, mas a nossa finalização não foi a melhor”, atalhou, sustentando que os objetivos do Clube Académico para a próxima época passam pela manutenção, continuar a dignificar a camisola do clube com humildade  e a mesma determinação.

Já Tozé Silva, capitão do Clube Académico da Feira, confirmou que o Paredes pelo que fez na fase da pré-leguilha e mesmo nesta fase merecia subir de divisão, salientando que a sua equipa vai virar agora atenções para a segunda divisão, uma competição, admitiu, renhida, com excelentes equipas que promete ser bastante equilibrada.

Refira-se que o Paredes conseguiu a subida dois anos depois da reativação da secção de Hóquei em Patins.