Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Complexo Desportivo do União Sport Clube de Baltar inaugurado. Presidente da Junta criticou anterior executivo da câmara.

Foi inaugurado, este domingo de manhã, o Complexo Desportivo do União Sport Clube de Baltar, obra situada junto ao Centro Escolar de Baltar, na Alameda de S. Silvestre. 

O presidente da Junta de Freguesia de Baltar, Jorge Coelho, relevou a importância deste equipamento, salientando que esta era uma obra há muito aguardada pela comunidade e que vai permitir a prática do desporto, numa estrutura construída de raiz e com todas as condições.

“Foi um projeto do anterior executivo prometido há 15 anos. Foram 12 anos de gestão do anterior executivo, para mim, de má gestão, cujo construção foi anunciada, com pompa e circunstância, no salão nobre dos Bombeiros de Baltar. Foram feitas promessas e nada aconteceu.  Fiz parte da direção do União Sport Clube de Baltar, o campo era um campo pelado, não tinha eletrificação, queriam impingir-nos não uns balneários, mas uns contentores, umas bancadas amovíveis com as quais não concordei e mais alarmado fiquei quando um vereador, à data,  me disse que o campo não tinha de ter eletrificação porque se os treinos fossem à noite, o União Sport Clube de Baltar tinha o campo antigo, o pelado, e treinariam aí, e quando se tratassem de jogos oficiais  jogaríamos no complexo desportivo. Sem treinos não podem haver competições. Foi isso que expliquei aqui e foram essas as razões que me levaram a reivindicar”, disse relevando o trabalho que foi realizado, nos últimos três anos, pelo atual executivo da câmara municipal que permitiu dar um novo impulso ao projeto e à obra.

” Felizmente, nestes últimos três anos, falei com o atual presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida,  entramos em sintonia, chegamos à acordo e, hoje, temos uns balneários de raiz”, disse, salientando que o projeto que o “anterior executivo tinha apresentado era um projeto sem ambição”

O autarca de Baltar destacou, também, que, neste dossier, mais grave é o facto da junta de freguesia estar a pagar os terrenos que foram adquiridos.

“Toda essa verba para pagamento dos terrenos adquiridos é evidente que acaba por afetar o orçamento da junta de freguesia e lesar a vila de Baltar. Para o meu executivo toda esta situação foi constrangedora. Fizemos um investimento elevado por causa da aquisição dos terrenos que estamos a pagar. São verbas que saem  do orçamento da Junta de Freguesia. Continuamos a trabalhar, a obra não está concluída e futuramente iremos ter a bancada. Em três anos de mandato fizemos o que os outros não fizeram em 12 anos”, atalhou, salientando que o complexo desportivo é um projeto para a comunidade.

“Tem que ser aberto à comunidade. Baltar é de todos e para todos. Temos grupos que competem no futebol de 11 do Inatel, o grupo dos Faíscas, entre outros que vão passar a dispor de um equipamento com todas as condições”, afirmou.

O presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida,  reconheceu  que a obra poderia ter sido inaugurada há um ano, mas faltava colocar a iluminação pública.

“Inaugurar um campo destes sem a iluminação pública não fazia sentido, assim como não fazia sentido treinar no campo antigo e depois jogar neste complexo e também não faz sentido, depois do campo estar montado, entrar com máquinas dentro do relvado, fazer-se estruturas para meter os pilares. Assim como não faz sentido ter este equipamento sem ter umas casas de banho, não ter uma bilheteira, um bar. Tudo isso fez atrasar a inauguração. Por vezes é melhor dar dois passos atrás, para depois dar três ou quatro em frente e foi isso que aconteceu”, frisou, confirmando que a primeira fase da obra está concluída, falta o pormenor de umas marcações, que serão feitas dentro em breve, a colocação de uma rede a todo o comprimento que já está adjudicada e depois haverá uma segunda fase que será a colocação de uma bancada, que terá de ser devidamente estudada.

Na sua intervenção, o chefe do executivo manifestou que os investimentos não vão ficar por aqui, tendo a câmara municipal adquirido o edifício da sede do União Sport Clube de Baltar que vai ser demolido para dar uma amplitude à praça aí existente.

“Temos, também, uma série de investimentos que queremos fazer ao nível do desporto. Queremos colocar um sintético igual a este no Vandoma, que vai avançar em janeiro, no Sobrosa, no São Luís de Beire”

“Ao tirarmos de lá a sede vamos dar dignidade ao local e tornar o local mais amplo. Um dos projetos que temos também é a saída daquele campo sintético que está naquele local, vai ser tudo transformado numa praça que vai ser reformulada. Baltar, tendo em conta a sua dimensão, tem que ter uma sala de visitas maior do que a que tem neste momento. Comunicamos à direção que iríamos fazer investimentos no antigo campo da Igreja. Neste momento, esse campo já está a ser usado pelas camadas jovens, vamos fazer um sintético de sete, precisamente, para as camadas jovens e esse é um projeto que irá avançar no final do ano ou em janeiro de 2021 porque é uma obra que se faz em três meses. Temos, também, uma série de investimentos que queremos fazer ao nível do desporto. Queremos colocar um sintético igual a este no Vandoma, que vai avançar em janeiro, no Sobrosa, no São Luís de Beire”, retorquiu, sustentando que o seu executivo está atento ao União Sport Clube de Baltar, à freguesia, sendo esta uma vila, que no conjunto das demais, assume um enorme relevo.

“Há várias pavimentações que já estão a decorrer, que serão para continuar no futuro. Em breve irá avançar a requalificação da Rotunda da Família, existe um projeto para a sua reformulação e há outros investimentos que temos pensados para Baltar que serão divulgados muito em breve”, acrescentou.

Falando ainda dos investimentos na área do desporto, Alexandre Almeida avançou que nestes três anos o seu executivo fez o complexo do Sobreirense, colocou o sintético no Parada e em outubro irá inaugurar os balneários na Cidade Desportiva de Paredes

“É uma vergonha, neste momento, termos  crianças do Paredes a vestirem-se e a usarem balneários em contentores, mas a partir de novembro essa realidade vai mudar”, referiu, informando ainda que brevemente irá começar a requalifiação do Estádio das Laranjeiras, a construção de um estádio novo, uma bancada construída de raiz, um investimento que fazia parte do seu programa eleitoral.

“A cidade sede do concelho precisava de uma nova vida e este é um dos investimentos que vai dar vida a Paredes”, admitiu.

Isidro Almeida, presidente do União Sport Clube de Baltar, relevou, também, a importância deste investimento e afirmou mesmo que se não fosse a inauguração do complexo, o clube seguramente teria dificuldades em manter-se em funções por mais tempo.

“O antigo campo não tinha condições, andamos há cinco anos a jogar em Paredes, conseguimos duas subidas de divisão, acabamos por descer precisamente por não dispormos de instalações. Não dava mais para aguentar. O nosso objetivo é recomeçar, com uma nova  ambição”, expressou, salientando que o antigo campo vai ser alvo de uma requalificação e terá um novo sintético.

“O antigo  campo é do União Sport Clube de Baltar  e vai continuar a ser e algumas equipas que integram as camadas jovens irão jogar lá”, confessou.