Novum Canal

mobile

tablet

Parquímetros: Associação de Empresas de Paredes defende rotatividade dos estacionamentos

Partilhar por:

Fotografia: Câmara de Paredes

Foi retomada, desde o dia 2 de setembro, a cobrança dos parquímetros na cidade de Paredes.

Segundo a Câmara de Paredes, a medida surge no seguimento das observações reportadas pela ASEParedes e por diversos comerciantes sobre a ocupação abusiva dos estacionamentos com parquímetro.

Ao Novum Canal, o presidente da direção da Associação de Empresas de Paredes (ASEParedes), Alberto Pereira Leite, realçou, a propósito da reativação da medida, que a rotatividade dos estacionamentos permite não só atingir este objetivo como o normal funcionamento da cidade de Paredes.

“A ASEP, enquanto legitima representante dos interesses dos empresários, neste caso em particular, comerciantes, entende que deve ser facultada a possibilidade de acesso aos clientes dos estabelecimentos comerciais dentro das melhores condições possíveis. Nesta estratégia a rotatividade dos estacionamentos permite não só atingir este objetivo como o normal funcionamento da cidade de Paredes”, disse, salientando que nada do que é autorizado é abusivo, mas importa evitar situações de ocupação diárias, quase permanentes.

“O que se pretende, como é lógico, numa altura de pandemia com a suspensão dos pagamentos é que se torne mais fácil a movimentação”

“Nada do que é autorizado é abusivo. Portanto, se o estacionamento é permitido e temporariamente gratuito não há, obviamente, situação de abuso. O que se pretende, como é lógico, numa altura de pandemia com a suspensão dos pagamentos é que se torne mais fácil a movimentação. Todavia, mantém-se em qualquer circunstância, a necessidade de evitar situações de ocupação diárias, quase permanentes, dificultando ainda mais a vida dos empresários comerciais de Paredes e a normal fluidez do trânsito na cidade, ainda mais quando existe, no centro da Cidade, um largo espaço de estacionamento gratuito e sem limite de tempo”, avançou.

O diretor da ASEParedes admitiu  que a medida acaba também por ter um efeito pedagógico e disciplinar, na medida que vai disciplinar e regular o trânsito.

Fotografia: Câmara de Paredes

“Evidentemente que qualquer medida implementada com base nas necessidades dos nossos empresários, por quem nos compete lutar, e no respeito pela população, tem repercussões benéficas e, neste caso em concreto, vai permitir disciplinar e regularizar o trânsito”, expressou.

Questionado sobre as medidas que a ASEParedes tem implementado no domínio do comércio na cidade com o objetivo de dinamizar a cidade e atrair mais visitantes aos espaços comerciais, Pereira Leite realçou que a associação tem promovido diversas iniciativas e sugerido várias medidas à Câmara de Paredes.

“Há várias medidas já levadas a efeito diretamente pela ASEP (animação de rua em datas como o dia da mãe, o dia dos namorados, dia da criança, celebração de protocolos com os CTT e a DOTT …)  outras em colaboração com o Município (natal, concurso de montras, reportagens com comerciantes,…) e ainda algumas outras em adiantado estado de preparação das quais só falaremos quando concretizadas, sem embargo de poder afirmar que ouvidos os nossos Empresários Paredenses já  apresentamos à Câmara Municipal de Paredes sugestões de alteração ao trânsito na cidade de Paredes. Para além disso, como plataforma colaborativa que é a ASEP procura dinamizar a atividade económica através da utilização de novos meios tecnológicos, também á disposição dos associados”, atalhou.

“Como é óbvio o comércio de Paredes não só não foi imune às nefastas consequências da crise sanitária como também sofre com a crise económica que o país e o concelho em particular atravessam. Esta conjuntura impõe que a ASEP apele á compreensão de todos os Paredenses para ajudarem a terra preferindo o comércio tradicional do Concelho”

Já quanto ao efeitos da crise sanitária no comércio local, o responsável pela ASEParedes destacou que este setor, tal como outros, não foi poupado.  

“Como é óbvio o comércio de Paredes não só não foi imune às nefastas consequências da crise sanitária como também sofre com a crise económica que o país e o concelho em particular atravessam. Esta conjuntura impõe que a ASEP apele á compreensão de todos os Paredenses para ajudarem a terra preferindo o comércio tradicional do Concelho alavancando a economia do Concelho, contribuindo desta forma para a manutenção dos postos de trabalho deste setor e para a estabilidade de muitas famílias”, afiançou, confirmando que “as vendas terão caído com diminuição de receitas na ordem dos 40% prevendo-se o agravamento destas dificuldades, não só pela situação atual do mercado mas também face á expectativa de uma 2.ª vaga epidémica”.

Interpelado sobre a necessidade de revitalizar o Centro Comercial do Vale do Sousa Pereira Leite afirmou que a associação está disponível para trabalhar com a entidade gestora do espaço no sentido de lhe conferir a importância que esta estrutura tem.

“Como é evidente, tratando-se de uma área comercial de relevante dimensão e localização preferencial, entendemos que seria interessante um programa de revitalização para o mesmo e desde já, publicamente nos demonstrámos disponíveis para trabalhar com a entidade gestora desse espaço se assim o entenderem”, acrescentou.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!