Novum Canal

mobile

tablet

Fotografia: Agrupamento de Escolas Felgueiras

Governo assegura que escolas estão preparadas para acolher alunos em segurança

Partilhar por:

A ministra do Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, revelou esta quinta-feira, após a realização do Conselho de Ministros,  que as escolas  estão preparadas para acolher em segurança os alunos nos dias 14 e 17, datas definidas pelo Governo para a abertura do ano letivo.

Segundo a ministra, os estabelecimentos de ensino foram previamente esclarecidos e informados acerca das medidas e orientações que foram produzidas antes do arranque do ano letivo, nomeadamente sobre como agir em caso de suspeita, foco ou existência de casos confirmados de Covid-19.

A governante confirmou, também, que foram dadas indicações aos estabelecimentos escolares, agentes e atores educativos de como organizar o espaço escolar, o distanciamento, entre outras.

“Relativamente ao regresso às aulas, ao longo dos últimos meses têm sido enviadas às escolas e tornadas publicas nos sites dos diferentes serviços do Ministério da Educação e por outras vias um enorme conjunto de orientações sobre o regresso às aulas. Essas orientações dizem respeito aos planos de contingência que as escolas tinham de realizar, à organização do espaço, ao tipo de concentração de alunos que é permitida e não permitida, à distância dos alunos, aos procedimentos relativos aos espaços de refeições, à utilização de máscara a partir do segundo ciclo, orientações pedagógicas que seguiram em agosto e, portanto, são hoje conhecidas das escolas, da comunidade educativa o conjunto de orientações que organizam o ano letivo. Dissemos que faríamos um conjunto de orientações explícitas que estão trabalhadas nos documentos que referi sobre como cada escola deve reagir relativamente a um caso suspeito, a um caso confirmado ou um surto na escola, qual é a ordem dos telefonemas que fará, como deve tratar o conjunto dos alunos, identificar os que possam estar em maior risco, daqueles que estão em menor risco. Um trabalho que será feito com a autoridade de saúde, mas para o qual a escola terá de estar preparada”, disse, salientado   que o ano letivo vai iniciar entre 14 e 17 de setembro e as escolas estão preparadas para esse início.

“Os estabelecimentos de ensino prepararam os seus circuitos, prepararam-se para poder receber os alunos, as famílias devem estar descansadas e confiantes porque os estabelecimentos escolares são capazes de enfrentar esta pandemia, de terem segurança para as suas crianças e têm as orientações que necessitam” expressou, sustentando que desde abril que o Governo vem articulando esforços com a comunidade educativa no sentido de minimizar e evitar focos de contágios e infeções em espaços escolares.

“Quando iniciamos o processo de desafinamento fomos muito claro quanto à avaliação das medidas necessárias para combater a pandemia. Aquilo que na semanas passada anunciamos foi que a próxima quinzena será uma quinzena de muitas transformações na vidas das famílias, com o regresso às aulas e ao trabalho e tomaríamos um conjunto de medidas que trabalharíamos esta semana, ouvindo na próxima segunda feira um conjunto de peritos sobre saúde pública e outras especialidades sobre este período que se avizinha para tomarmos uma decisão na próxima quinta-feira e é esse trabalho que está a ser feito”, referiu,  assumindo que é necessário ter-se consciência do muito trabalho que foi feito.

“Já passamos pelo regresso às aulas das creches dos estabelecimentos do pré-escolar, dos alunos do 11.º e 12.º ano, já realizamos os exames de acesso ao ensino superior e tudo isto correu com muita tranquilidade e em segurança.  Sabemos que o ano letivo será diferente dos outros, sabemos que temos de aprender a viver com a emergência de casos  nas escolas, nas empresas, nos serviços onde trabalhamos. O que queria era deixar uma mensagem de tranquilidade, dizer a todos que as informações referentes a estes elementos que referi da organização das escolas, à recuperação pedagógica dos alunos estão todas disponíveis e são públicas e aquilo que estamos a tratar são elementos de pormenor que são importantes que têm de ser tratados entre o Ministério da Saúde e da Educação e que irão ser apresentados muito brevemente”, acrescentou.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!