Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Dia do Maratonista: Autarca e atleta de Lousada já fez 24 maratonas

Fotografia: António Augusto

Comemora-se esta sexta-feira, o Dia do Maratonista, data que presta homenagem ao etíope Abebe Bikila, o primeiro atleta a vencer duas maratonas, uma em Roma e outra em Tóquio.

A data presta também homenagem aos atletas que conseguiram completar os  42, 195 quilómetros, o percurso que tem uma maratona.

No dia em que se comemora esta data, o Novum Canal foi auscultar o vereador do Desporto da Câmara de Lousada, António Augusto, que é um fervoroso apaixonado pela corrida e pelo atletismo, tendo no seu curriculum um total de 24 maratonas.

Além de vereador e responsável pela implementação de inúmeros eventos desportivos no concelho, tem sido protagonista em inúmeras provas que se têm realizado no município, na região e até mesmo a nível nacional e internacional e um impulsionador da  corrida, enquanto veículo do bem-estar físico e metal.

 Ao Novum Canal, o autarca e atleta realçou que entre as várias maratonas que realizou a que mais o marcou foi a que fez em 2010, no Porto, mas, também, a de Berlim, pelo número de pessoas que participaram.

“Possivelmente a primeira em 2010, no Porto, por ter superado o desafio, seguramente a de Berlim (2015), pelo número de pessoas que participaram (cerca de 40 000) e por ter feito o meu melhor tempo e com toda a certeza a de Amesterdão em outubro de 2019, depois de ter feito uma intervenção no mês de abril anterior a uma hérnia cervical, que foi sem dúvida a que teve maior emoção e mais significado”, disse, salientando que entre as maratonas que mais dificuldades teve em fazer encontra-se a de Bilbau, Espanha em outubro de 2018.

“Tinha feito uma intervenção cirúrgica no mês de agosto anterior, e sempre alimentei a esperança de fazer a prova em que já estava inscrito. Tinha perdido alguma massa muscular e não tive tempo para recuperar alguma forma física. Acabei, mas fiz o pior tempo de sempre e acabei com muita dificuldade”, frisou.

Entre as provas menos conseguidas, o autarca recordou, ainda, a Maratona de Badajoz, competição que considerou aziaga para si.

“Desisti na Maratona de Badajoz. Caí ao quilómetro sete e as dores foram aumentando, dando uso a alguma racionalidade, que nestas coisas das corridas, nem sempre está muito presente, desisti ao quilómetro 23. As dores já eram muito fortes e ainda tinha que conduzir perto de 400 km. Não foi uma decisão fácil, mas foi a mais sensata”, referiu.

Falando dos cuidados que a preparação de uma maratona implica, António Augusto realçou que o principal é a saúde e a preparação que é feita e que antecede a prova.

“Preparar uma maratona e fazer uma maratona, aprofunda competências transferíveis para a vida”

Fotografia: António Augusto

“O cuidado principal é com a saúde. Deve perceber-se se se tem condições físicas para o fazer, consultar um médico e fazer os exames adequados é fundamental. Assegurando esta parte tudo depende do objetivo. No meu caso, não tenho qualquer pretensão em relação a tempos, procuro fazer alguns treinos mais longos, nunca ultrapassando os 32 km. No dia da prova a emoção faz o resto. Qualquer pessoa saudável faz uma maratona, mesmo uma pessoa que hoje não corra 10 metros. Tem que se preparar gradualmente, não queimar etapas, começar por provas mais curtas e preparar-se para provas mais exigentes. É tudo uma questão de tempo e de foco”, assegurou, destacando que antes da realização de qualquer maratona, procurar manter a forma física e fazer alguns treinos mais longos todos os meses, que lhe permitam fazer em qualquer altura do ano uma maratona.

“Obviamente sem estar preocupado com o tempo final ou a classificação”, afiançou, salientando que além da disponibilidade física, este tipo de provas exige uma disponibilidade mental elevada.

“Preparar uma maratona e fazer uma maratona, aprofunda competências transferíveis para a vida. Treinar repetidamente, muitas vezes em condições atmosféricas difíceis, roubando tempo ao descanso. Aprender a gerir o sofrimento que muitas vezes extremo, durante as provas. Ajudam-nos a trabalhar a resiliência tão importante na nossa vida”, confessou.

Fotografia: António Augusto

Após terminar  a maratona, o vereador do desporto confirmou que volta a correr passado uma semana,  mas nunca faz mais de três maratonas por ano.

“Volto a correr na semana seguinte, mas procuro não fazer mais de três maratonas por ano, embora já tenha cometido a loucura de fazer três maratonas em três meses e de fazer meias maratonas na semana seguinte a uma maratona”, expressou, sustentando que estava inscrito e com toda a logística preparada e paga na Maratona de Milão em abril passado, mas devido à COVID-19  a prova não se realizou.

“Espero que a próxima possa ser essa em 2020”, atestou, sublinhando que além das maratonas, faz provas de 10 quilómetros e meias maratonas.

O vereador reforçou que a prática de atividade física regular tem inúmeras vantagens ao nível do bem-estar físico e mental e reconheceu que são cada vez mais as pessoas que começaram a praticar atividade física, defendendo que a corrida além de não implicar gastos, apenas disponibilidade física e mental, pode ser implementada a qualquer momento de forma individual ou em grupo.

Os dados existentes confirmam , por outro lado, que além do número de praticantes, dos recordes batidos, Lousada é cada vez mais procurada por atletas e equipas para fazerem a sua preparação, sendo também palco de provas organizadas quer pela Associação de Atletismo do Porto , quer da própria Federação Portuguesa de Atletismo.

Refira-se que Lousada dispõe de Centro de Marcha e Corrida, dispondo o município de um vasto programa de corridas e competições conhecido por Circuito Lousada a Correr que  integra as seguintes provas: VII Corrida de Carnaval de Lousada; VI Street Cross de Lustosa;  10K do Complexo Desportivo de Lousada; Corrida AR Nogueira; Prova de Atletismo ADR Aveleda; Prova de Atletismo ARD Macieira;  Halloween Night Run Aparecida e a São Silvestre de Lousada.

O  Circuito Lousada a Correr tem como objetivos incrementar atividade física, assim como a corrida, mas também, incrementar o calendário de provas concelhias.

António Augusto é também o rosto do Free Running, evento que ao longo dos anos tem trazido ao município nomes sonantes do atletismo, atletas olímpicos como Sara Moreira, José Regalo e Fernanda Ribeiro, e outros atores e agentes ligados à área do atletismo e continua a ser uma referência na região, para muitos apaixonados da corrida e do atletismo.