Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Vereadores do PSD questionam executivo municipal sobre encerramento do centro de testes

Fotografia ilustrativa

Os vereadores do PSD Paços de Ferreira questionaram, esta quinta-feira,  o presidente em exercício Paulo Ferreira, durante a reunião executivo municipal, qual o motivo que levou ao encerramento do centro de testes serológicos do COVID-19, estrutura que se encontra instalada no Parque de Exposições da Capital do Móvel.

Em nota de imprensa, o vereador do PSD Joaquim Pinto considerou que esta decisão foi tomada de “forma atabalhoada” e “sem dar cavaco a ninguém”, ao ponto, referiu em comunicado, “ de no primeiro dia após o encerramento centenas de pessoas terem comparecido no referido centro e não encontraram ninguém para explicar o referido encerramento.”

Na mesma nota de imprensa, os vereadores sociais-democratas acusaram a maioria socialista “ de não cumpriu com a obrigação de informar a população do concelho, quer no momento do encerramento como agora pois se o encerramento foi atabalhoado a resposta foi digna de um “elefante a percorrer uma loja de cerâmica!”, refere a nota de imprensa.   

“Entre expressões como ”o responsável pelo encerramento foi a ACES” e “o que é que o PSD faria se tivesse entre mãos testes que não nos merecem credibilidade”, a maioria socialista mais uma vez não esclareceu uma decisão tomada o que é grave, não só pela referida ausência de informação à população como também pelo facto de se ter estado a gastar dinheiro de todos nós em algo que, nas palavras do Sr. Vice Presidente não tem a credibilidade necessária”, alude ainda a nota que citando Joaquim Pinto expressa que esta realidade “demonstra bem que o processo de adjudicação deste serviço por parte da maioria socialista não foi feita com a devida competência”.

“É totalmente falso que, na reunião ordinária do executivo municipal, realizada ontem, tenha sido afirmado, designadamente pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal, Paulo Ferreira, que o encerramento do centro de testes covid foi decretado pelo ACES”

Em comunicado enviado pela Câmara de Paços de Ferreira aos órgãos de comunicação, a autarquia repudiou as acusações do PSD, recordando que em momento algum foi dito, designadamente pelo vice-presidente da câmara municipal, Paulo Ferreira, “que o encerramento do centro de testes covid-19 foi decretado pelo ACES”.

“É totalmente falso que, na reunião ordinária do executivo municipal, realizada ontem, tenha sido afirmado, designadamente pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal, Paulo Ferreira, que o encerramento do centro de testes covid-19 foi decretado pelo ACES”.

Segundo a autarquia pacense, o diretor do ACES, Hugo Lopes, “tem sido um profissional de saúde exemplar no combate a esta pandemia e um profissional fundamental para toda a população nesta luta sem tréguas à COVID-19”.

“Engana-se o PSD, se pretende embrulhar no mesmo saco,  com que se diverte,  personalidades e profissionais sérios, tendo este comportamento, apenas, a única vantagem de mostrar à população do nosso concelho a fraca rês política a que, contra muitos sociais-democratas honrados e sérios, está entregue o PSD local”, acrescenta a nota.

De acordo com o executivo municipal “o que foi dito nessa reunião, é que na sequência de um conjunto de testes realizados a funcionários e responsáveis da Câmara Municipal verificou-se que os resultados não coincidiam com outros testes realizados, alguns dias depois, tendo tais factos sido comunicados, para os devidos efeitos, às entidades regionais e nacionais competentes, designadamente à Entidade Reguladora da Saúde”.

“Fruto destes dados, o município de Pacos de Ferreira, aguarda que se apurem, pela Entidade Reguladora da Saúde, as circunstâncias em que foram realizados os testes à Covid 19 no sistema de rastreios, sistema Drive-Through, instalado em Paços de Ferreira, designadamente a sua fiabilidade, nunca tendo decretado o encerramento do referido espaço”, lê-se no mesmo comunicado.

Nesta questão, a autarquia lamentou o que considerou ser “política da mentira, do ódio e da maledicência”, por parte do PSD Paços de Ferreira.

“O que se lamenta profundamente é que o atual PSD insista na política da mentira, do ódio e da maledicência, sempre com o já insuportável sentimento de superioridade moral e intelectual em relação aos outros, na tentativa de alimentar, sem sucesso, o chorrilho de notícias, boatos caluniosos e de perseguição pessoal”, refere o comunicado do município.