Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

“Região do Norte regista quebra significativa das exportações”

Segundo a Norte Conjuntura, relatório com periodicidade trimestral, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional Norte (CCDRN- Norte), nos primeiros meses de 2020, deu-se uma quebra muito significativa da atividade económica da região, verificando-se uma redução de 42,3 por cento das exportações da Região do Norte em abril de 2020  face ao mês anterior.

Os dados em análise são dos meses de março, abril e maio, e têm como horizonte temporal o estado de emergência.

O relatório “Norte Conjuntura” documento que reúne e analisa, desde 2006, a informação e tendências da evolução económica da Região Norte no panorama nacional, aponta também para queda de 16,6 por cento em março do mesmo ano.

“No conjunto dos dois meses a região exportou menos 1,1 mil milhões de euros do que no período homólogo de 2019, cerca de 11 por cento do valor exportado pela região em 2019. A atividade turística, por seu turno, foi praticamente inexistente em abril de 2020: as dormidas nos estabelecimentos de alojamento turístico da Região Norte diminuíram 95,3 por cento e os proveitos totais baixaram 97 por cento face a abril de 2019”, refere o relatório.

O documento salienta que verificou-se um “crescimento do número de desempregados registados nos centros de emprego da Região, que observou um aumento de 23,4 por cento em maio de 2020”.

“Com o encerramento temporário de várias empresas, o número de horas trabalhadas diminuiu 33,7 por cento na indústria do vestuário, 33,9 por cento na fabricação de têxteis e 45,3 por cento na indústria do couro e produtos do couro. Ainda assim, a aplicação das medidas de lay-off, durante o estado de emergência, conseguiu suster uma queda do emprego de amplitude equivalente nas indústrias com implantação mais consolidada na região. À data de abril de 2020, as reduções do emprego eram de apenas 4,7 por cento na indústria do vestuário, 3,1 por cento na fabricação de têxteis e 5 por cento na indústria do couro e produtos do couro”, refere o relatório.