Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Câmara de Paredes homenageou Bispo Auxiliar do Porto, profissionais que estiveram na linha de frente ao combate à Covid-19 e forças da GNR

A Câmara de Paredes homenageou, esta manhã, no parque José Guilherme, no âmbito da sessão comemorativa do feriado municipal, o Bispo Auxiliar do Porto, D. Vitorino Soares, ex-pároco da Paróquia de Castelões de Cepeda e Madalena, natural de Penafiel, os postos da GNR de Paredes e Lordelo, assim como dezenas de operacionais de várias associações e instituições particulares de solidariedade social do concelho.

Referindo-se à entrega de medalhas às personalidades e instituições, o presidente da Câmara de Paredes, Alexandre Almeida, relevou o trabalho realizados pelos homenageados em prol do concelho, nas mais variadas  vertentes de atuação, numa altura difícil, marcada pela incertezas de uma crise sanitária que não está totalmente debelada.

“O feriado municipal, o dia do município é uma oportunidade para pararmos, escutarmos e vermos o que fomos e o que queremos ser como concelho. Parar para louvar  aos que entre nós se distinguiram ao longo do ano. Parar para refletir com humildade e coragem sobre o futuro do nosso concelho, escutar o que se diz à nossa volta  as vozes dos que legitimamente tecem críticas ao que fazemos, as vozes dos que apresentam ideias e propostas, as vozes irreverentes dos nosso jovens que vivem, neste momento, tempos difíceis, os clamores dos que nem sequer têm voz e que vivem com grandes dificuldades económicas e sociais e o silêncio dos nossos idosos muitos deles num silêncio imerecido.  Olhar com olhos  de ver as dificuldades, os problemas, as injustiças, mas olhar também para o muito que se tem feito  em prol da qualidade de vida do concelho, pelo bem comum e pelo desenvolvimento sustentado do município”, disse, salientado ser necessário traçar objetivos e caminhos para a sua concretização.

O autarca, na sua intervenção, confirmou que é determinante estabelecer objetivos claros para a década 2030 para o desenvolvimento sustentável, relevando a força dos empresários do concelho, dos trabalhadores do município, mas também das escolas, numa articulação com os vários agentes da comunidade escolar.

O chefe do executivo relevou, também, as instituições de cultura, desporto e de ação social na sua ação insubstituível para a sociedade, confirmando, também, a necessidade do município abranger nesta dinâmica coletiva as juntas de freguesia e os munícipes, no seu todo.

“A elaboração da agenda estratégica 2030 para o desenvolvimento sustentável será um desafio para a câmara municipal, uma agenda na qual todos estão convidados a participar. Sabemos onde queremos chegar. Queremos um concelho melhor em termos de infraestruturas, equipamentos e organizações, um concelho com mais emprego, que aposta na inovação, um concelho, uma comunidade e um território que seja cada vez melhor para se viver, trabalhar, estudar ou visitar. Um concelho onde a câmara ambiciona ser o motor dessa transformação social. Uma câmara gerida com rigor e transparência, onde o poder é entendido como um serviço aos munícipes, às suas instituições e empresas. É para isso que trabalhamos todos os dias. Sabemos que o caminho faz-se caminhando”, avançou, assumindo que o  concelho está no bom caminho.

O chefe do executivo manifestou, também, que na fase da pandemia, o município conseguiu fazer face às adversidades, encontrar respostas em diferentes domínios, na educação, na saúde, no apoio ao comércio, educação e industria. O município tem dado passos significativos na credibilidade das suas contas, está a lançar um conjunto de investimentos de que já não havia memória, mas são inúmeras as carências e o nosso trabalho está longe de estar concluído”, expressou.

Falando dos homenageados, o autarca recordou os que tiveram um papel determinante no combate à Coovid-19.

“Selecionamos pessoas, instituições e empresas. Recordo os paredenses que infetados perderam a sua vida. Homenageamos os operacionais das instituições que lutaram arduamente para salvaguardar os mais vulneráveis, os idosos. Quero relembrar o trabalho realizado pelas coletividades, as assistentes operacionais da Associação de Apoio à 3ª Idade de S. Miguel de Beire; assistentes operacionais – Associação Para o Desenvolvimento Integral de Lordelo; Assistentes Operacionais – Associação Para o Desenvolvimento Integral de Sobreira; Assistentes Operacionais – Associação Para o Desenvolvimento de Rebordosa; Assistentes Operacionais – Associação Social e Cultural de Louredo; Assistentes Operacionais – Centro Social de Cete; Assistentes Operacionais – Centro Social e Paroquial de Baltar; Assistentes Operacionais – Centro Social e Paroquial de Recarei; Assistentes Operacionais – Centro Social e Paroquial de S. Miguel de Gandra; Assistentes Operacionais – Centro Social e Paroquial de Vilela; Assistentes Operacionais – Centro Socioeducativo e Profissional da Parteira; Assistentes Operacionais – Irmandade da Misericórdia de Paredes; Assistentes Operacionais – Obra de Assistência Social de Sobrosa e Assistentes Operacionais – S. Pedro Centro Social da Sobreira”, avançou.

Alexandre Almeida recordou que  durante e após a crise sanitária houve setores de atividades que tiveram que se adaptar substancialmente a esta realidade e reinventarem-se.

“Selecionamos o restaurante – Bobaque – Sociedade Hoteleira, Lda. Comércio – “Casa Costa Neto” – António Augusto Branco da Costa. Em termos individuais escolhemos os carteiros que nunca pararam, permitindo que o comércio continuassem a trabalhar online. Escolhermos o carteiro –  Leonço Ribeiro Leão e os feirantes, na pessoa do feirante António Jorge Leal de Sousa, que se sujeitaram a muitas restrições ao longo destes meses. As forças de segurança evidenciaram durante esta pandemia a sua operacionalidade com espírito de serviço público e por isso homenageamos o posto da GNR de Paredes e Lordelo. A saúde e os profissionais de saúde foram incansáveis, de uma competência de louvar e por isso homenageamos a delegada de saúde Maria de Fátima Santos Marques”, atalhou, recordando o trabalho realizado pelos autarcas e demais atores e agentes na fase mais crítica da pandemia.

Sobre o vírus, o autarca alertou que esta situação está longe de estar resolvida e advertiu para a necessidade de não baixar a guarda na luta contra a Covid-19.

O autarca recordou,também, o Maestro Virgílio Pereira, a título póstumo, maestro da Banda de Vilela  que comemora este ano 160 anos de atividade e cuja legado deixado em prol da música e da cultura é hoje reconhecido e elogiado.

Na sua intervenção, Alexandre Almeida aludiu aos feitos de António Francisco Ferreira de Sousa, com vários títulos a nível nacional  e internacional no ciclismo, prémios coletivos, mas também a figura do atual Bispo Auxiliar do Porto, D. Vitorino Soares, pelo que fez em prol do território.

“A firme vontade da minha equipa é trabalhar arduamente em prol dos paredenses e das suas diferentes realidades, encontrar respostas justas, prontas e competentes para as expectativas que todos têm”, concretizou.

Vitorino Soares, num discurso emocionado, referiu que são as pessoas que marcam a história de cada um.

“Quando fui convidado para esta homenagem pensei se deveria estar presente. Não é para mim pessoalmente, nada fiz, nada trabalhei, não tive ninguém que me empurrasse para ser Bispo Auxiliar não se trata de nenhuma promoção, de nenhum reconhecimento. Trata-te de um grande serviço e responsabilidade que me foi colocada nas mãos. Reconheço nesta homenagem muitos outros, é uma homenagem coletiva, não pessoal”, frisou, agraciando os que o ajudaram a ser pastor na Diocese do Porto.

“É um tempo para ouvirmos, para nos escutarmos uns aos outros, e interpretar esses sinais e encontrar o melhor caminho”, adiantou.

O desportista António Francisco Ferreira de Sousa, parco em palavras, regozijou-se com a homenagem e agradeceu ao executivo municipal.

Maria Cláudia Figueiredo, neta de Virgílio Pereira,  realçou, igualmente, a homenagem conferida ao avô a título póstumo, num gesto que sensibilizou a família e que considerou ser um prémio ao trabalho do avô em prol da cultura e da educação.

“Expressando a vontade de toda uma família, interpretando a vontade do próprio e numa prova de apreço por esta terra e grato por não esquecerem a memória de Virgílio Pereira, a disponibilidade de doar a este município a parte do seu espólio que ainda se encontra na posse da família, se a câmara tiver condições para aceitar a doação”, afiançou.

A delegada de Saúde Maria de Fátima Silva Marques esclareceu que este prémio é acima de tudo uma homenagem a toda a equipa que com ela tem trabalhado no sentido de fazer face à pandemia.

“Somos 16 e temos a responsabilidade de zelarmos por 175 mil habitantes. Na fase da pandemia fizemos o trabalho de formiga, fomos à procura de casos positivos e dos seus contactos com o objetivo de cortar a corrente de transmissão. O nosso desejo é que houvesse menos doentes, menos pessoas a irem para o hospital e menos pessoas a morrerem. É este o trabalho da saúde pública. Estamos a falar de um trabalho que não se vê. Tenho que agradecer às forças militares e às autarquias. Trabalhamos em equipa e só assim somos um todo. Obrigado à população por ter cumprido com as diretrizes e orientações da autoridade de saúde local e nacional”, expressou, reiterando a necessidade da comunidade se manter atenta, cumprir com os deveres cívicos e as orientações para diminuirmos o risco de contágios.

 Homenageados

D. Vitorino José Pereira Soares

António Francisco Ferreira de Sousa

Dra. Maria de Fátima Silva Marques – Delegada de Saúde

Maestro Vergílio Pereira

GNR – Guarda Nacional Republicana – Posto Territorial de Lordelo

GNR – Guarda Nacional Republicana – Posto Territorial de Paredes

Assistentes Operacionais – Associação de Apoio à 3ª Idade de S. Miguel de Beire

Assistentes Operacionais – Associação Para o Desenvolvimento Integral de Lordelo

Assistentes Operacionais – Associação Para o Desenvolvimento Integral de Sobreira

Assistentes Operacionais – Associação Para o Desenvolvimento de Rebordosa

Assistentes Operacionais – Associação Social e Cultural de Louredo

Assistentes Operacionais – Centro Social de Cete

Assistentes Operacionais – Centro Social e Paroquial de Baltar

Assistentes Operacionais – Centro Social e Paroquial de Recarei

Assistentes Operacionais – Centro Social e Paroquial de S. Miguel de Gandra

Assistentes Operacionais – Centro Social e Paroquial de Vilela

Assistentes Operacionais – Centro Socioeducativo e Profissional da Parteira

Assistentes Operacionais – Irmandade da Misericórdia de Paredes

Assistentes Operacionais – Obra de Assistência Social de Sobrosa

Assistentes Operacionais – S. Pedro Centro Social da Sobreira

Restaurante – Bobaque – Sociedade Hoteleira, Lda.

Comércio – “Casa Costa Neto” – António Augusto Branco da Costa

Feirante  – António Jorge Leal de Sousa