Novum Canal

mobile

tablet

PSD Lousada acusou Jorge Magalhães de ter “desrespeitado” lousadenses

Partilhar por:

O PSD Lousada criticou, em comunicado, Jorge Magalhães, ex-presidente da Assembleia Municipal, e ex-presidente da autarquia durante vários mandatos consecutivos, por este ter renunciado ao plenário, para o qual tinha sido eleito, sem qualquer esclarecimento cabal à assembleia e à população.

“Jorge Magalhães, que presidiu ao município de Lousada durante cerca de duas décadas e meia, renunciou ao mandato de presidente da Assembleia Municipal, sem uma única justificação aos Lousadenses. Ocorreram, na última sessão, eleições para a presidência da Assembleia Municipal de Lousada, “de fugida”, sem que os Lousadenses tivessem o devido tempo para se inteirarem da situação. Podemos apenas concluir que Jorge Magalhães enganou os Lousadenses!”, lê-se na nota que nos foi enviada.

Os sociais-democratas recordam que nas últimas eleições autárquicas, Jorge Magalhães foi eleito presidente da Assembleia Municipal de Lousada para um mandato de quatro anos.

“No final do primeiro ano, suspendeu o mandato e, no fim do terceiro, renunciou ao cargo. Questionamos: Jorge Magalhães abandonou a Assembleia a troco de um cargo bem remunerado e arranjado à medida na Ambisousa, empresa intermunicipal que trata dos lixos do Vale do Sousa? A Comissão Política do PSD de Lousada lamenta esta postura de Jorge Magalhães, que não quis honrar o compromisso que tinha para com a população de Lousada e bateu com a porta sem nada dizer!”, referem os sociais-democratas na mesma nota de imprensa.

“O PSD Lousada questiona ainda as condições que terá o Dr. Jorge Magalhães para exercer o cargo de Diretor-Geral da Ambisousa enquanto for considerado arguido na denominada operação ETER, processo que foi movido pelo Ministério Público contra os dirigentes da anterior Direção do Turismo Porto e Norte, onde Jorge Magalhães era vice-presidente. No entender do PSD, Jorge Magalhães deveria suspender funções até ver a sua inocência provada no referido processo. Lamentamos, uma vez mais, esta postura. Os Lousadenses mereciam mais respeito!” sustentou a Comissão Política do PSD/Lousada na nota que nos foi remetida.

Ao Novum Canal, Jorge Magalhães assumiu estar a ser alvo de uma tentativa de “chicana política”, referindo-se a este episódio como sendo um caso “ignóbil”.

O ex-presidente da Assembleia Municipal realçou que esta é uma forma de atentar contra o seu “caráter”, não sendo a a primeira vez que tal acontece por parte da oposição, reforçando que informou quem de direito, seguindo os trâmites e procedimentos quanto à sua saída do plenário.

Jorge Magalhães declarou que assim que foi convidado pela Ambisousa  para assumir funções na empresa deu nota disso mesmo à assembleia municipal.

O ex-presidente da Assembleia Municipal de Lousada confirmou que foi-lhe endereçado um convite pela direção da Ambisousa para substituir o anterior responsável que estava de saída, numa fase que coincidiu com a sua saída da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte, tendo, à data, optado por não se recandidatar.

O ex-autarca esclareceu, ainda, que após alguns pareces teve o cuidado de suspender o seu mandato que se tornou mais tarde efetivo.

Neste processo, Jorge Magalhães descartou que tenha tido qualquer falta de sentido de responsabilidade ou de coerência, reafirmando que a Ambisousa confia no seu trabalho e sempre teve conhecimento de todas as diligências que adotou, nesta questão.

O ex-autarca recordou, também, que não aufere qualquer vencimento da Ambisousa, sendo-lhe apenas pagas as despesas de representação.


Partilhar por:

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Receba todas as novidades!

Subscreva a nossa Newsletter

SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS!

Ajude o Jornalismo Regional

IBAN: PT50 0045 1400 4032 6005 2890 2
Caixa de Crédito Agrícola Mútuo

Obrigado!

Estamos a melhorar por si.
Novum Canal, sempre novum, sempre seu!