Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Filipe Coimbra vai continuar no comando técnico do CRCD Varziela

Fotografia: CRCD Varziela

Filipe Coimbra vai continuar no comando técnico do CRCD Varziela, equipa que milita na Associação de Futebol do Porto, 1ª Divisão, Série 2 e que na época transata ficou em quarto lugar, em igualdade pontual com o Citânia de Sanfis, ambos com 37 pontos, a um ponto do segundo e a dois do primeiro classificado.

Ao Novum Canal, Filipe Coimbra assumiu que esta não foi uma decisão fácil de tomar, mas o desejo  de dar continuidade ao trabalho iniciado na época transata acabou por falar mais alto.

“Não foi uma decisão difícil de tomar, existia o desejo de ambas as partes para darmos continuidade ao trabalho efetuado na época anterior. Identifico me bastante com as ideias, objetivos e organização desta direção. Claro que também pesou a vontade de acabar aquilo que começamos na época anterior”, disse, salientando que os objetivos para esta época passam por formar uma equipa competitiva e vencer todos os jogos.

“Ainda é muito cedo para poder lhe responder com sinceridade a essa pergunta.. O que lhe posso garantir é que podem contar com um Varziela muito forte, que irá entrar em campo para ganhar todos os jogos. Claro que, por aquilo que estávamos a fazer e a construir n’ altura que se deu o término do campeonato, seremos inicialmente vistos como candidatos.  Espero que o grupo tenha a consciência dessa grande responsabilidade, por isso iremos encarar esse campeonato com humildade, sabendo que existe 7 ou 8 equipas capazes de subirem de divisão”,, expressou.

Questionado sobre a decisão tomada pelas entidades responsáveis pela gestão do futebol distrital de cancelar a prova se esta decisão acabou por  penalizar o clube no capítulo desportivo, o técnico foi perentório: “No dia 8 de Março realizaram se 6 jogos da 22° jornada, ficando 2 jogos adiados para 15 de Abril. Nessa jornada o Varziela atingiu o 1° lugar, passando uns dias a AF Porto lança um comunicado oficial, onde esclarece que, devido à pandemia os campeonatos terminavam à data de 8 Março. Esse mesmo comunicado explica que ninguém desceria de divisão, e que as equipas que estariam nos lugares de subida seriam as premiadas com a mesma subida não existindo essa época campeões. Mas todos sabem o que acabou por acontecer, é verdade que tinhamos 1 jogo a mais em relação aos nossos adversários  diretos, mas nessa jornada faltava disputar um dos jogos, a equipa em 2°lugar defrontava o 3°. Independentemente do resultado entre essas equipas, o Varziela estaria no fim dessa jornada nos lugares de subida. Tanto o Varziela como todas as restantes equipas não tiveram culpa da dimensão dessa pandemia. Mas o Varziela foi o único clube  em Portugal a nível distrital que estava em 1° lugar aquando do término do campeonato e que não subiu”, manifestou, sustentando que a Associação de Futebol do Porto poderia ter optado por implementar outra decisão que não anular a última jornada.

Fotografia: CRCD Varziela

“Claro que sim, a AF Porto decidiu infelizmente pelos nomes dos clubes envolvidos, não foi coerente na decisão tomada. Veja, decidiu anular uma jornada onde jogamos e ganhamos, onde se realizou 80% dos jogos, algo ilegal, impensável. Aconteceu uma situação igual na Divisão de Elite, onde o Barrosas tinha 1 jogo em atraso devido à pandemia e essa mesma jornada não foi anulada. Retirar 3 pontos a uma equipa que ganhou esse jogo ao fim dos 90 mn de forma legal, penso ser inédita em Portugal. O clube tentou através do seu advogado, que a AF Porto decidisse a atribuição da subida de divisão de forma diferente e a mais coerente possível, como aconteceu noutros países europeus.  Propusemos que todas as equipas tivessem o mesmo número de jornadas (21 jornadas) e que se dividisse esse número pelo número de vitórias até à essa data/jornada. Esse coeficiente seria o resultado encontrado para classificar as equipas. Se fosse com essa forma O Varziela estaria neste momento na Divisão de Honra. Pior ainda, a AF Porto comunicou oficialmente há umas semanas que a partir da próxima época, se algo semelhante ao Covid voltasse acontecer, o mérito desportivo seria encontrado com a forma como o clube propôs à AF Porto. Por isso lhe digo a AF Porto decidiu pela pressão de alguns clubes e/ou pelo nome dos clubes envolvidos”, avançou.

Já quanto ao plantel para esta época, Filipe Coimbra confirmou que o plantel está fechado.

“Sim, está tudo a ser preparado com o máximo cuidado. O plantel está fechado, mantivemos 18 jogadores da época transata e reforçamos com 5 atletas. Tinhamos a necessidade de dar ainda mais experiência à equipa, termos soluções mais fortes que nos desse garantia de ficarmos com um plantel mais equilibrado. Com isso decidimos reforçar só nessa idéia o plantel com 2 defesas, 1 médio e 2 avançados. Promovemos também 2 ex júniores que já estavam a trabalhar com o plantel na época passada”, avançou, sublinhando que a AF Porto comunicou que os campeonatos começam no dia 11 de outubro.

“Por isso devemos iniciar os trabalhos do plantel na última semana de agosto. Mas individualmente os jogadores seguirão um plano individual a partir da última semana de julho. Isto tudo se não houver evolução da pandemia que altere o início dos campeonatos”, observou.

Quanto às equipas candidatas a lutar pelos lugares de subida, Filipe Coimbra apontou existirem 7, 8 equipas candidatas .

“Sinceramente não tenho seguido as contratações dos nossos adversários porque estamos preocupados com a nossa casa, mas todas as épocas aparecem surpresas. Por isso devemos esperar um campeonato muito difícil para todos”, declarou, reconhecendo que a existência de campos sintéticos faria subir o nível competitivo da prova.

“Considero um nível médio/alto, se a AF Porto exigisse que todos os jogos se realizassem em campos sintéticos, o nível competitivo subiria, tenho essa certeza/convicção”, atalhou.