Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

PSD Lousada volta a defender encerramento do aterro da Rima e apresenta alternativa

O PSD Lousada, por intermédio dos vereadores do PSD na Câmara Municipal de Lousada, Leonel Vieira, Simão Ribeiro e Sandra Silva defenderam, na última reunião do executivo, realizada na sexta-feira, o encerramento do aterro da Rima, situado em Lustosa, concelho de Lousada.

Em comunicado enviado ao Novum Canal, o Vereador Leonel Vieira informou que juntamente com a Comissão Municipal de Acompanhamento dos Aterros, presidida pelo presidente da Junta da União das Freguesias de Lustosa e Barrosas (Santo Estevão, Armando Silva, e também na presença do Presidente da Junta de Freguesia de Sousela, Diogo Aires, visitaram o aterro da Rima, em Lustosa.

Como resultado dos acontecimentos ocorridos nos últimos meses, os vereadores do PSD recordaram que “O aterro da Rima foi construído para receber resíduos dos concelhos do Vale do Sousa, e tem recebido de outras regiões e de outros países, nomeadamente de Itália, que inicialmente destinava-se somente para receber resíduos não perigosos, mas com a emissão de novas licenças tal não está acontecer. Hoje o aterro pode e recebe resíduos perigosos, como por exemplo: resíduos da refinação de petróleo, da purificação de gás natural e do tratamento pirolítico do carvão; resíduos do FFDU de sais e suas soluções e de óxidos metálicos; resíduos do FFDU de produtos e processos químicos do azoto e do fabrico de fertilizantes; resíduos do FFDU de tintas, vernizes, esmaltes e colas; resíduos da pirometalurgia do cobre, do alumínio, do zinco e do chumbo”, lê-se na nota enviada.

Os vereadores sociais-democratas insistem na tese de que “a administração da Rima não cumpre a lei. Mesmo após o Governo ter decretado a suspensão da importação de resíduos, a Rima aceitou no aterro de Lustosa centenas de toneladas de lixo proveniente de Itália. Os donos da Rima estão apenas interessados no lucro. Já demonstraram não estarem preocupados com a saúde da população. Não são confiáveis. O aterro tem que encerrar!”, salientaram.

No mesmo comunicado, os vereadores do PSD Lousada informaram que convidaram o presidente da Câmara Municipal, Pedro Machado,  de Lousada a tomar as diligências necessárias junto do Ministério do Ambiente e, se necessário através dos tribunais, para que “o encerramento do aterro aconteça brevemente”.

Como alternativa, os vereadores sociais-democratas convidaram a câmara municipal a propor à Associação de Municípios do Vale do Sousa que a Ambisousa, empresa intermunicipal, reúna as condições necessárias para tratar também dos resíduos não perigosos.

 “No entanto, porque é preciso ter soluções para tratar dos resíduos não perigosos dos Concelhos do Vale do Sousa, os Vereadores do PSD apresentaram a seguinte proposta: Deve a Câmara Municipal de Lousada propor à Associação de Municípios do Vale do Sousa que a Ambisousa, empresa intermunicipal, reúna as condições necessárias para tratar também dos resíduos não perigosos. E, se necessário, deve junto do Governo defender a alteração da legislação ”, avançaram, defendendo que o novo aterro para os resíduos não perigosos tem que ser construído num município do Vale do Sousa que até hoje ainda não tenha tido qualquer aterro.

Leonel Vieira, em representação dos Vereadores do PSD, afirmou que “o objetivo primeiro dos municípios não é o de obter lucro com os resíduos, mas sim tratá-los devidamente. O mesmo não acontece com a administração da Rima que está em Lousada apenas para ganhar dinheiro à custa da saúde dos Lousadenses”.

O Novum Canal  tentou ouvir a Câmara de Lousada, mas até ao momento não nos  foi possível obter qualquer esclarecimento  por parte do executivo.