Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Ricardo Sousa recandidata-se à liderança do PSD Paredes

Fotografia: PSD Paredes

O líder da Comissão Política Concelhio do PSD Paredes, Ricardo Sousa, é recandidato à liderança do PSD Paredes.

Em comunicado enviado ao órgãos de comunicação social, o atual líder da Comissão Política Concelhia do PSD Paredes assumiu como objetivos fundamentais dar continuidade do trabalho de proximidade e preparar as próximas autárquicas, para vencer.

“Quando há dois anos tomei posse como presidente do PSD Paredes, encontrei o Partido numa situação difícil. Sabia que tinha pela frente uma caminhada árdua e que precisava de força para chegar a bom porto.  Dois anos passaram e orgulho-me de poder afirmar que, hoje, temos um PSD Paredes diferente, muito mais forte. Tenho que dividir o mérito do trabalho desenvolvido com todos os elementos da Comissão Política, que mostraram uma disponibilidade e determinação admiráveis, mas também com todos os militantes e eleitos pelo PSD: vereadores, membros da Assembleia Municipal, das assembleias de freguesia e presidentes de junta. A todos, muito obrigado!.  Se é certo que não alcançámos o nosso desiderato de ser o partido mais votado no Concelho nas eleições europeias e legislativas, também não é menos verdade que fizemos uma campanha aguerrida, com os poucos recursos que tivemos ao nosso dispor. Promovemos o debate de ideias e colocamos Paredes na agenda política ao trazermos candidatos ao Concelho. Um grande esforço que, num contexto nacional muito difícil, nos valeu um lugar entre os concelhos do distrito do Porto com melhores resultados”, afirmou o candidato.

Ricardo Sousa reconheceu que durante o seu mandato, a política de proximidade não foi para figura de retórica para a atual estrutura  política concelhia.

“Elegemos a proximidade aos militantes e aos Paredenses em geral como um dos objetivos. Começamos pela reorganização do Partido, com a criação das comissões instaladoras dos núcleos de freguesia, organizamos uma Convenção Autárquica e promovemos debates com diversas individualidades da vida pública nacional. Estivemos sempre em diálogo com as forças vivas das freguesias, que promoveram eventos de cariz popular, cultural, desportivo e solidário. Esta presença assídua permitiu-nos conhecer as forças e fragilidades das associações. Sempre bem documentados e conhecedores da realidade, tivemos a oportunidade de fazer ouvir as nossas ideias nos congressos e fóruns do Partido a nível distrital e nacional. Acompanhámos os nossos autarcas e com eles criámos estratégias de “combate” político”, revelou, sustentando que foi a sua equipa que  criou um gabinete de apoio à Comissão Política e aos eleitos, assim como a criação do Gabinete de Estudos.

“As nossas ideias e atividades marcaram presença assídua na comunicação social e nas redes sociais.  As entrevistas, reportagens e artigos de opinião, publicados em jornais e televisões locais, permitiram-nos chegar a todos os Paredenses. De salientar que, nas redes sociais, a dinamização da nossa presença permitiu-nos duplicar o número de seguidores. Para isso, contribuiu também a criação de um canal de televisão. Mas a nossa ação no presente teve sempre os olhos fitos na construção do futuro. A criação do Gabinete de Estudos é disso exemplo, ao lançar a semente que germinará durante o próximo mandato. São muitos os militantes e simpatizantes que têm contribuído para o sucesso deste gabinete, que alicerceará o nosso trabalho”, expressou.

“Tenho consciência do que, ao longo destes dois anos, mais do que colher, plantámos. Lançámos os alicerces de um conjunto de projetos e de ferramentas que importa agora desenvolver, na certeza de que irão gerar frutos a curto, médio e até a longo prazo”

O líder da estrutura concelhia social-democrata assumiu que mandato que agora termina ficou ainda marcado pelos efeitos da pandemia da Covid-19, facto que acabou por condicionar a ação política, “atrasando projetos que já estavam em marcha e impedindo a realização de outros, tais como o Congresso Concelhio de Militantes e o Curso de Formação Autárquica”.

“ Espero, em breve, poder retomar a agenda de atividades e planificar outras que se afigurem importantes, juntamente com a minha comissão política, se for essa a vontade dos militantes. Tenho consciência do que, ao longo destes dois anos, mais do que colher, plantámos. Lançámos os alicerces de um conjunto de projetos e de ferramentas que importa agora desenvolver, na certeza de que irão gerar frutos a curto, médio e até a longo prazo. Esses frutos serão tanto melhores quanto nos dedicarmos a eles: nós, que integramos esta lista, os seus apoiantes e todos os outros militantes e simpatizantes, que esperamos que a nós se juntem para encetarmos esta jornada. Por isso, recandidato-me, com o objetivo de dar continuidade ao projeto de proximidade iniciado, assente ainda nos pilares da coesão, pluralidade, renovação e responsabilidade”, afirmou.

Falando dos objetivos e metas subjacente à sua recandidatura, Ricardo Sousa destacou que a sua equipa irá continuar a preservar e salvaguardar “os valores fundamentais da social-democracia (a liberdade, a igualdade, justiça social e a solidariedade)”.

Fotografia: PSD Paredes

O líder do PSD Paredes esclareceu, também, que se propõe atuar de acordo com um projeto de proximidade, a coesão,  a pluralidade de opinião dos militantes sociais-democratas.

“Um partido construído com base em falsos elitismos encontra-se inevitavelmente condenado a ruir por falta de ligação aos problemas dos cidadãos e ao seu dia a dia. A proximidade com a população fará parte do nosso quotidiano”.

Ricardo Sousa apontou, também, com princípios basilares da sua recandidatura, a renovação, “sem contornos de pura cosmética será sempre a nossa bandeira”, a responsabilidade, salientando que esta não pode ser posta em causa por um “deslumbramento eleitoralista”.

Quanto às linhas gerais da ação política, o atual líder da Comissão Política do PSD Paredes esclareceu que pretende “consolidar o partido no concelho, tornando-o ainda mais próximo das pessoas, ouvindo-as (nomeadamente as pessoas de idade mais avançada, que normalmente têm mais dificuldade em fazer-se ouvir), utilizando as suas sugestões e contribuindo para a resolução dos seus problemas” e “continuar o trabalho de reorganização do partido no concelho, reativando ou criando núcleos em todas as freguesias, independentemente da sua dimensão, e manter com eles uma via aberta de diálogo”.

Ricardo Sousa destacou, também, que terá como meta organizar um congresso concelhio com militantes das diversas freguesias para debater e definir diretrizes para o caminho a seguir, apostar na formação política autárquica, através de cursos de formação autárquica, tendo em vista a qualificação da nossa intervenção política nos diversos órgãos autárquicos, a valorização dos quadros atuais e a promoção do aparecimento de novos quadros, assim como organizar a 2ª Convenção Autárquica, onde tenham assento todos os autarcas eleitos no concelho.

Fotografia: PSD Paredes

O candidato realçou que irá promover debates com diversas individualidades da vida pública nacional, abordando uma “pluralidade de temas, procurando encontrar respostas e soluções para muitos dos problemas da contemporaneidade e para as dificuldades que o concelho atualmente enfrenta, no seguimento das sessões do café com autarcas e Café com Vídeo”.

O líder da concelhia elucidou, também, que irá  “colaborar afincadamente com a JSD no intuito de cativar mais do que nunca jovens para o Partido, proporcionando a criação e participação em eventos nas áreas políticas, sociais, culturais e desportivas. Continuar a ser uma voz ativa no Partido ao nível distrital e nacional, contribuindo para que o partido volte a liderar os destinos do país. Continuar o trabalho de aproximação àqueles que connosco partilham ideais, a vontade de ver o progresso do concelho e a felicidade das suas gentes, em detrimento daqueles que buscam estar próximos do poder unicamente para alimentar egos e objetivos pessoais”.  Esclareceu que é também seu propósito: “apoiar os companheiros que integram os diferentes órgãos autárquicos, realizando reuniões de preparação e balanço das diferentes sessões dos órgãos autárquicos, acompanhando os autarcas e criando com eles estratégias de “combate” político”.  Elegeu, também como metas “melhorar a imagem do partido a nível concelhio, através das redes sociais e promovendo uma relação salutar com os diversos órgãos de comunicação social, com uma presença forte e regular através de notas de imprensa e artigos de opinião. Promover a presença das mulheres nas lides do partido, não por uma questão de quotas, mas pelo muito que têm a acrescentar às nossas vidas e que, por vezes, são impedidas de o fazer pela falta de verdadeiras oportunidades e aumentar o número de militantes no concelho. Pretendemos motivar a adesão ao PSD de novos militantes, promovendo uma saudável relação com a sociedade civil, ao mesmo tempo que acolheremos antigos militantes que, de uma forma ou de outra, se foram afastando”.

“Criar listas à Câmara de Paredes e à Assembleia Municipal, capaz de vencer as eleições e de defender as nossas ideias e os nossos ideais, sempre com a perspetiva de melhorar as condições de vida dos paredenses”

Ainda na ação política, Ricardo Sousa manifestou que irá “criar, apoiar e estar presente em eventos solidários para apoio aos mais desfavorecidos, elevar os padrões de democracia interna, assegurando uma cada vez maior participação de todos os militantes e atraindo novos protagonistas, defender os valores da social-democracia, fixando o eleitorado que naturalmente vota no PSD, evitando guerras intestinas que só nos fragilizam perante a sociedade, fiscalizar a gestão autárquica do PS por intermédio dos nossos vereadores e deputados municipais, denunciando os erros que têm sido cometidos e a evidente inexistência de um projeto coerente para o concelho e preparar as eleições autárquicas do próximo ano, conjuntamente com os militantes de cada freguesia, de forma a que em cada freguesia se consigam reunir as pessoas mais válidas e capazes de vencer as eleições e de posteriormente efetuar o melhor trabalho possível em favor dos seus fregueses”, concretizou, esclarecendo que irá  “criar listas à Câmara de Paredes e à Assembleia Municipal, capaz de vencer as eleições e de defender as nossas ideias e os nossos ideais, sempre com a perspetiva de melhorar as condições de vida dos paredenses e de tornar o nosso Concelho mais atrativo, mais dinâmico, mais próspero, mas também mais solidário, promovendo um desenvolvimento responsável comprometido com questões económicas, sociais e ambientais”.

Quanto aos objetivos estratégicos, Ricardo Sousa apontou a eleição do Presidente da República.

“Apesar de se tratar de uma eleição com candidaturas pessoais, temos como objetivo contribuir para a decisão estratégica a tomar pelo PSD e defender os interesses definidos pelo partido no concelho”, referiu, sustentando que eleição dos órgãos das autarquias locais será igualmente uma prioridade.

“Este será o grande objetivo estratégico do mandato que se avizinha, como aliás não poderia deixar de ser. Tudo será feito para vencermos em cada freguesia e no concelho sem, no entanto, hipotecarmos o futuro do partido”.