Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Jovem de Penafiel inicia rodagem de curta-metragem de terror

Miguel Ferreira, um jovem residente na freguesia de S. Miguel de Paredes,  Freguesia de Termas São Vicente, no concelho de Penafiel, iniciou esta quarta-feira, a rodagem, da sua mais recente curta-metragem intitulada ““PRUFLAS”, projeto realizado no âmbito da disciplina projeto 2  da licenciatura de cinema e audiovisual da Escola Superior Artística do Porto (ESAP) .

Ao Novum Canal, o jovem, que é também presidente do Grupo Nova Geração de Jovens de São Miguel de Paredes, realçou que o projeto  conta, também,  com a colaboração de José Gonçalves, responsável pela direção de fotografia, também de Penafiel, que iniciou a sua formação em cinema e que está a frequentar um curso audiovisual na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD).

Miguel Ferreira referiu, aliás, que dos cinco intervenientes no projeto, quatro  são de Penafiel, contando a curta-metragem, também, com a colaboração de Catarina Reis, outra penafidelense, responsável pela parte da maquilhagem.

Falando deste seu mais recente projeto, o realizador e argumentista  deste “PRUFLAS” realçou que este não é o primeiro projeto que realiza no domínio do cinema, tendo estado na realização do documentário sobre o senhor Gabino Ribeiro, o fundador do Rancho Folclórico de S. Miguel de Paredes, um dos mais antigos do concelho de Penafiel, cujo documentário  foi  apresentado  no Centro Cultural de São Miguel de Paredes, perante cerca de 400 pessoas.

Sobre o documentário em memória do senhor Gabino Ribeiro, o cineasta, em fim de curso, esclareceu que o filme foi inclusive selecionado para dois festivais internacionais, um festival online direcionado para primeiros trabalhos e um outro festival na Guiné-Bissau.

O documentário conta com a voz de Manuel Fernandes na narração.

Voltando à curta-metragem “PRUFLAS”, o jovem cineasta revelou que o filme já começou a ser rodado, será filmado totalmente no concelho de Penafiel, entre S. Miguel de Paredes, nas Termas de S. Vicente e a cidade de Penafiel, tratando-se de um filme de terror, que promete surpreender os fãs deste género.

A sinopse do filme remete para “uma noite fria, um grupo de cinco amigos realizam uma festa. Entre muito álcool, música e dança descobrem uma antiga caixa com um antigo artefacto… descobrimento este que lhes trará grandes surpresas até ao nascer do sol” que reconheceu que o género terror está na moda mais até do que a própria comédia.

 O realizador confirmou que concluídas as filmagens, será feita a pós-produção, devendo esta curta-metragem estar concluída em finais de Julho, sendo  seu objetivo candidatar a película a festivais como o MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa e o Fantasporto.

O jovem  cineasta de 21 anos, declarou, também que gostava de fazer uma estreia do filme, embora não tenha nada definido em termos de datas.

“O documentário em memória do senhor Gabino Ribeiro foi apresentado em S. Miguel de Paredes, mas este “PRUFLAS” gostava que fazer uma estreia em Penafiel, na cidade, lá mais para o verão, mas nada está definido em termos de datas”, sustentou, sublinhando que o filme terá entre 15 a 25 minutos e conta com o apoio financeiro do Instituto do Cinema e Audiovisual, e da Escola Superior Artística do Porto (ESAP) que cedeu o material.

Questionado sobre como surgiu paixão pelo cinema, Miguel Ferreira realçou que desde muito novo sempre sentiu uma atração pelos filmes, confessando até que ver filmes era uma forma de se acalmar.

Além dos filmes de terror, Miguel Ferreira assumiu gostar de quase todos os géneros, menos de cinema experimental pela razão que estes não são feitos a pensar no público.

“Para mim, qualquer obra tem de ter um destinatário final. Só faz sentido quando é vista pelo público”, referiu, avançando querer continuar a fazer cinema, quando terminar o curso, ainda que reconheça que é mais fácil iniciar primeiro na área dos videoclips e da publicidade, subgéneros, e depois dar o salto para o cinema.

Miguel Ferreira é também autor da obra “Código de Conduta: Valdemar”.