Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Penafiel celebra tradição secular do Corpo de Deus com exposições constituídas por grandes painéis

A Câmara de Penafiel, à semelhança do que já tinha feito com a Procissão das Endoenças, vai celebrar esta quinta-feira,  a tradicional secular festa do Corpo de Deus, cuja tradição em Portugal remonta a 1282 e cuja festividade vai também ser alvo de transmissão em direto no Novum Canal.

Segundo a Câmara de Penafiel, apesar da actual pandemia do covid-19 que já vários eventos em Penafiel,  e com as limitações impostos pela Direção-Geral de Saúde quanto a grandes ajuntamentos, o município criou formas alternativas para que todos possam celebrar e deixar viva a memória de tempos antigos, com a cidade a ser invadida com vários elementos alusivos a esta tradição secular com informação, fotografias, vídeos e elementos gráficos sobre a Procissão do Corpo de Deus, da Cavalhada, o desfile do Carneirinho, os Bailes dos ofícios, a Bicha Serpe, o Estado de S.Jorge e o Carro Triunfal.

As exposições são constituídas por grandes painéis e estruturas físicas e interactivas com QRCODE´s que redireccionam on-line, o utilizador para vídeos, fotos e histórias alusivas ao tema, estando distribuídas por vários pontos do centro da cidade, desde a biblioteca até ao Sameiro.

Os visitantes poderão ainda fazer parte de um circuito de memórias, disponível no comércio local, com fotografias antigas e informação sobre curiosidades e factos. A autarquia irá, também, envolver o comércio Local, com a colocação de imagens em vinil nas montras, motivando as pessoas a parar e aceder à informação.

O município vai, também, oferecer bandeiras ou pequenos estandartes à comunidade, que as desejem colocar nas suas janelas ou varandas para celebrarem as festas da cidade e do concelho.

No dia do Corpo de Deus, dia 11 de Junho, a celebração da Eucaristia, na Igreja Matriz, às 11h30, e a bênção à cidade, do alto do Jardim do Sameiro, às 19h00, terão transmissão em direto, nas redes sociais.

De acordo com a autarquia penafidelense, a procissão respeita todas as recomendações das autoridades de saúde, sem promover os habituais ajuntamentos de dezenas de milhares de pessoas, que ano após ano, se deslocam à cidade de Penafiel para assistir ao desfile do Carneirinho, à Cavalhada ou à procissão do Corpo de Deus.

Na Praça Escritaria, no Sameiro, e no centro da cidade, estarão patentes exposições sobre as “Memórias do Corpo de Deus”.

Citado em comunicado, o presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Antonino de Sousa realçou que a festa do Corpo de Deus é uma das maiores tradições seculares de Penafiel.

“Apesar de todos os constrangimentos provocados pelo COVID19, queremos criar soluções inovadoras e simbólicas para assinalar os nossos eventos seculares que são queridos aos Penafidelenses e à sua identidade enquanto povo. Foi assim com as Endoenças, em abril, e vai ser agora com o Corpo de Deus, também de forma especial. Penafiel orgulha-se de ser dos poucos territórios, que mesmo com a pandemia do COVID 19, conseguiu adaptar-se a esta situação sensível e não esqueceu as suas tradições e as suas origens”, disse.

Recorde-se que o Município de Penafiel já tinha preservado a tradição das Endoenças com a colocação de cerca de 3.000 velas, durante alguns minutos, no cais de Entre-os-Rios, que no seu conjunto exibiram uma cruz, as silhueta de Jesus Cristo e de Maria, e ainda a frase “Juntos vamos vencer”. Esta iniciativa pretendeu também enviar uma mensagem de fé, esperança e união, neste momento sensível.

Enquadramento Histórico

A festa do Corpus Christi, ou Corpo de Deus, foi instituída no séc. XIII.

Em Portugal, sabe-se que a celebração do Corpo de Deus remonta pelo menos ao reinado de D. Dinis, tendo começado a ser celebrada em 1282, embora haja referencias a tempos anteriores. A partir do início do séc. XIV que rapidamente passou a ser festejada em muitas vilas e cidades do Reino. Era, antigamente, celebrada com danças, folias e procissões em que o sagrado e o profano se misturavam. Representantes de várias profissões, a serpe, e outros elementos desfilavam pelas ruas, e hoje em dia Penafiel mantem grande parte da tradição associada à festa do Corpo de Deus, como por exemplo as danças dos ofícios.

Em Penafiel sabe-se que a celebração do Corpo de Deus deverá ser bastante anterior ao séc. XVII e à elevação do lugar de Arrifana de Sousa à categoria de Vila, dizendo-se já em 1657, data do mais antigo Tombo das Festas do Corpo de Deus que se fazem por el-Rey nosso senhor neste lugar de Rifana de Souza, que aqui se realizavam estas festas por immemorial costume.

O Corpo de Deus de Penafiel reveste-se hoje de características únicas no país, não só pela manutenção da secular celebração desta grandiosa festa da cidade e do concelho, como pela persistência de vários dos elementos profanos que originalmente a compunham, unindo-se umbilicalmente à dimensão sagrada da solenidade.

Reinventando-se ao longo do tempo, com uma dinâmica própria de adaptação constante às circunstâncias do devir histórico, a festa do Corpus Christi penafidelense soube manter a singularidade que a distingue, marcando profundamente a identidade e a memória colectiva desta comunidade, e constituindo-se como uma importante referência do património imaterial local, único no país.