Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

“Número de contágios em Castelo de Paiva é inferior ao região do Vale do Sousa e ao panorama nacional”, Paula Melo, vereadora da Saúde.

A vereadora da Saúde da Câmara de Castelo de Paiva, Paula Melo, revelou em declarações ao Novum Canal que o pessoas infetadas foi sempre bastante inferior quando comparado com a região do Vale do Sousa e com o panorama nacional.

“Julgo que o facto de termos um registo de casos positivos muito baixo tem muito que ver com a estratégia que foi adotada muito cedo pelo município. No dia 11 de março o município realizou uma reunião com diversas entidades do concelho, onde estiveram presentes o Diretor Executivo e a Delegada de Saúde Pública do Agrupamento de Centros de Saúde do Tâmega II – Vale do Sousa Sul para sensibilizar a população e as demais instituições sobre as medidas preventivas a serem adotadas. Muito cedo, os paivenses mostraram um comportamento responsável o que contribuiu para o controlo da pandemia do concelho”, disse, recordando que os primeiros casos de contágio em Castelo de Paiva surgiram no final do mês de março.

“O município já tinha acionado, previamente, o Plano Municipal de Emergência em consonância com o Estado de Emergência Nacional decretado a 19 de março. Por esses dias, iniciaram-se as desinfeções aos locais de maior afluência próximos de serviços públicos bem como a todos os equipamentos de recolha de lixo do concelho. O município organizou ações de sensibilização à população e aos proprietários do comércio local que mantiveram a atividade durante o Estado de Emergência e que cumpriram com as regras emanadas pela Direção Geral de Saúde”.

A responsável pelo pelouro da Saúde da autarquia paivense declarou que o trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal de Castelo de Paiva com diversas entidades locais, IPSS´s, Agrupamentos de escolas, GNR, Bombeiros, Diretor Executivo do ACES e da Delegada de Saúde – Vale Sousa Sul, foi determinante para atacar o problema e minimizar o surgimento de um eventual foco.

“O município manteve, como sempre, uma estreita relação com as diversas entidades. Desde logo, numa primeira reunião com IPSS´s, Agrupamentos de escolas, GNR, Bombeiros, Diretor Executivo do ACES e da Delegada de Saúde – Vale Sousa Sul para definir algumas ações concertadas entre todas as instituições, para sensibilizar a comunidade dos comportamentos a adotar e para comunicar algumas medidas com efeito imediato, como a entrega de equipamentos de proteção individual aos bombeiros e IPSS’s que prestam um serviço essencial à população. A parceria com todas estas entidades tem sido profícua e tem-se revelado de grande sucesso no controlo do número de casos positivos no concelho”, frisou.

A autarca esclareceu, também, que na mesma altura, Castelo de Paiva fechou os equipamentos municipais de utilização pública como piscina municipal, pavilhões, biblioteca municipal e edifício do Posto de Turismo durante o mês de março.

“A decisão do encerramento dos equipamentos municipais foi tomada numa fase em que ainda não se registavam casos positivos no concelho mas que teve como objetivo essencial a prevenção e foi eficaz no combate à Covid”, confessou, salientando que o município implementou um vasto número de medidas, ainda numa fase muito inicial, com vista a reduzir o acesso e a circulação de pessoas para evitar potenciais contágios.

“A suspensão da feira quinzenal, da feira agrícola, de eventos municipais, bem como o encerramento dos equipamentos municipais e a redução do horário de atendimento dos serviços municipais teve como objetivo fundamental a prevenção e o controlo da doença no concelho”, avançou.

Referindo-se ao fecho das escolas do concelho, a autarca explicou que o município, na pessoa do presidente da Câmara de Castelo de Paiva, Gonçalo Rocha, desde o início de março, solicitou junto do governo o encerramento das escolas assumindo que seria uma medida preventiva de grande impacto no controlo da pandemia.

Quanto aos rastreios que foram realizados às instituições particulares de solidariedade social e às estruturas residenciais. Paulo Melo recordo que o município avançou com uma medida de rastreio a todos os utentes e colaboradores dos lares e estruturas residenciais do concelho, tendo sido realizados 500 testes de despiste à Covid-19.

“O resultado negativo veio realçar e destacar o excelente trabalho que estas instituições prestam no cuidado a utentes de maior risco. O concelho de Castelo de Paiva tem uma rede social muito forte que assume um papel fulcral no dia-a-dia da comunidade”, afiançou, acrescentando  que no âmbito da medida de rastreio, o município disponibilizou testes de despiste à covid ao comércio e restauração, em que se detetou apenas um caso positivo num total de 345 testes.

“Os rastreios realizados à comunidade (lares, escolas, comércio e restauração) foram realizados em parceria com o ACES Tâmega II – Vale do Sousa Sul e o Centro Hospitalar Universitário São João a quem deixo o nosso agradecimento e reconhecimento”, concretizou.

“Na minha opinião existe o risco de reversão. Foram vários meses de confinamento social, os serviços estão a reabrir e o bom tempo convida a sair de casa”

Paula Melo  lembrou, ainda que mais importante do que testar é continuar com um comportamento responsável, cumprindo todas as normas da DGS para que consigamos impedir a propagação do vírus.

“Os sinais de abrandamento da curva epidemiológica são sinal que devemos manter um comportamento responsável e rigoroso no cumprimento das normas. Se aligeirarmos as medidas preventivas seremos confrontados com o agravamento da situação epidémica. Na minha opinião, existe o risco de reversão. Foram vários meses de confinamento social, os serviços estão a reabrir e o bom tempo convida a sair de casa. No entanto, temos de estar conscientes que o vírus continua ativo e continuamos expostos ao mesmo correndo o risco de contágio” afiançou, relembrando que devemos continuar vigilantes pois o vírus continua ativo.

“ Há risco de infeção e ainda não há uma vacina disponível. O comportamento responsável de cada um é fundamental”, confessou.

No que à reabertura do pré-primário diz respeito, que abriu portas, esta segunda-feira, Paula Melo manifestou que o município disponibilizou atempadamente testes de rastreio aos educadores e auxiliares para a reabertura do pré-primário, cujo resultado foi negativo.

Questionada sobre se a curto/médio prazo vai ser possível combater a Covid-19, a autarca  mostrou-se otimista que poderá ser possível controlar a Covid-19.

“Julgo que a médio prazo poderá ser possível controlar a Covid-19 quando houver uma vacina disponível no mercado. Até lá, teremos de continuar com medidas preventivas e manter um comportamento cívico e responsável”, adiantou, relevando o comportamento dos cidadãos em geral, dos comerciantes e dos empresários  no cumprimento das regras higiénico-sanitárias.

“O que verificamos no nosso concelho é que os comerciantes e proprietários dos serviços e restauração têm sido responsáveis e cumprem com os requisitos exigidos pela DGS. Considero que toda a população paivense tem demonstrado um enorme sentido de responsabilidade. Daí, termos uma taxa de contágio tão baixa num total de 22 casos confirmados dos quais apenas 4 se mantêm positivos.  Acredito que nos próximos dias consigamos atingir os 100% de recuperados sem nenhum caso ativo no concelho”, assegurou.