Novum Canal – Sempre novum, sempre seu.

Novum Informação – Noticias da região

Paulo Futre assume que situação no Campeonato de Portugal é muito difícil

Paulo Futre admitiu em declarações ao Novum Canal que há equipas e atletas que alinham no Campeonato de Portugal, no futebol não profissional, que estão a passar por sérias dificuldades, na sequência da crise sanitária da Covid-19 que está a atingir o país.  

O ex-atleta do FC Porto, detentor da Taça dos Campeões, declarou que existem atletas que estão com sérios problemas económicos, dependem exclusivamente desta atividade, situação que foi agravada pelo facto de os clubes estarem com problemas de tesouraria, com poucas ou nenhumas receitas  e os atletas, a este nível, muitas vezes não terem qualquer proteção.

Com a paragem da prova, o atleta internacional português confirmou mesmo que existem vários relatos de dificuldades.

Como forma de minimizar este cenário, Paulo Futre associou-se à campanha “Do Futebol para a Vida”, iniciativa que tem como propósito ajudar os atletas do Campeonato de Portugal em situação económico-financeira mais debilitadas. A  iniciativa tem também como meta ajudar os atletas que se encontram em situações precárias, não dispõem de apoios e estão com dificuldade até nos bens mais elementares.

Refira-se que a Federação Portuguesa de Futebol Profissional anunciou, entretanto, uma linha de crédito no valor de 35.250 mil euros para ajudar os clubes do Campeonato de Portugal, na sequência da crise pandémica.

Em declarações ao Novum Canal, o atleta abordou, também, a questão da suspensão das competições de futebol, admitindo que à data, e tendo em conta a evolução do quadro epidemiológico da doença, esta foi a decisão mais acertada.

Paulo Futre considerou, também, que a pandemia acabou por ter um impacto profundo na modalidade, que considerou uma indústria, com um peso comercial significativo. O antigo internacional referiu-se à doença como uma coisa “diabólica”, que os clubes e as entidades do futebol terão de ultrapassar, algo de inesperado que levou inclusive à realização de jogos, por exemplo, na Alemanha, na Bundesliga, com os estádios vazios, sem público, o mesmo estando previsto para Portugal, no reatar da prova agendada para o dia 3 de junho.

Falando do que resta jogar da Liga NOS  e das últimas 10 jornadas, o atleta confessou que apesar do FC Porto ter um ponto de vantagem sobre o Benfica, o campeonato está em aberto.

Sobre as figuras que marcaram a sua vida, Futre recordou, também, a figura Aurélio Pereira, personagem ligada ao Sporting, que marcou uma geração de futebolistas, como Luís Figo, Cristiano Ronaldo e Paulo Futre. Sobre Aurélio Pereira, o ex-internacional português recordou que foi ele que convenceu o seu pai a deixá-lo ir para o Sporting, numa altura em que ainda era muito novo.

O atleta recordou, também, a sua passagem do Sporting, onde esteve sete anos, para o FC Porto, equipa ao serviço da qual venceu dois campeonatos de Portugal, uma Taça dos Campeões Europeus e uma Taça Intercontinental.

Foi no FC Porto, confessou, que viveu um dos momentos mais emblemáticos da sua carreira desportiva: a conquista da Taça dos Campeões Europeus, com 2-1 ao Bayern, em 1987.

Outro dos momentos que marcou a sua carreira enquanto futebolista foi a sua transferência para o para o  Atlético de Madrid em 1987, numa altura difícil em que a formação espanhola era maioritariamente composta por atletas espanhóis e em que era difícil para qualquer atleta se afirmar na equipa.

Sobre a sua passagem pela formação espanhola, Futre assumiu que foi o primeiro a ter sucesso no estrangeiro, numa altura, em que eram poucos os atletas que se conseguiam afirmar no futebol internacional.

Como um dos piores momentos da rua carreira, o ex-atleta do Atlético de Madrid destacou a rutura de um dos ligamentos do joelho na sua passagem pelo campeonato  italiano, lesão que acabou por condicionar o jogador.

Futre reconheceu que a passagem por outros clubes internacionais, fizeram-no crescer enquanto atleta, assimilar novas práticas, novos conceitos e conhecer outras realidades.

Questionado sobre a evolução da seleção nacional, Futre reconheceu que a equipa das Quinas tem feito nos últimos anos um percurso invejável, que culminou com a conquista do Europeu em 2016.

Além de Cristiano Ronaldo, que considerou estar noutro patamar, Futre reconheceu que a seleção integra no seu plantel um naipe de atletas acima da média, como Bernardo Silva e João Félix, entre outros, que fazem com que a formação portuguesa tenha o seu futuro assegurado.  

Ainda sobre Bernardo Silva considerou que este é detentor de um pé esquerdo incrível, um jogador que tem potencial para continuar a crescer.

Além de Cristiano Ronaldo e Messi, o ex-colchonero apontou Maradona e Pelé como referências do futebol mundial que vão prefigurar como os melhores de sempre.

O atleta apontou, também,  Chalana, uma referência no Benfica, como um dos seus ídolos. Sobre Chalana recordou que era um atleta de eleição, único, detentor de uma técnica fabulosa, e embora fosse destro alinhava pelo lado esquerdo, o que confundia muitas vezes o adversário.

Sobre o seu ídolo encarnada, referiu, também, que ainda nas camadas jovens do Sporting deslocava-se muitas vezes ao Estádio da Luz para ver Chalana jogar.

“Era um atleta único. Enganava os adversários com o movimento das ancas.  Jogava com o pé direito, mas porque alinhada do lado esquerdo, confundia os adversários”, salientou.

Hoje, Paulo Futre, apesar de retirado dos campos, confirmou continuar a ser um apaixonado pelo futebol, agora noutras funções, como comentador televisivo.